POEMA

OS DOIS MENINOS MAUS ESTUDANTES


- Zeca-e-Stélio!
- Mamã!
- São horas da escola.
- !!!

- Vocês não ouvem? São horas.
- Não queremos ir à escola, mamã.
- O quê? Não vão à escola? Vão, sim-senhor!
- Não vamos à escola, mamã.
- Mas não vão à escola porquê? Não estudaram, não é?
- É a sôra professora, mamã.
- É a sôra profesora o quê?
- !!!

- Olhem amanhã é dia de visita e vou queixar ao vosso pai.
- Não vai queixar, mamã.
- Queixo, sim, vocês vão ver.
- A sôra professora chama... a sôra professora cha...
- A sôra professora não chama nada. Vou queixar.
- A sôra professora chama-nos filhos de um turra, mamã.
- !!!

-Está bem, mamã, não chore.
Não chore, mamã. Nós vamos à escola, mamã.


José Craveirinha

12 comentários:

Ludo Rex disse...

Mesmo na adversidade há que continuar...
Abraço e Bom Domingo

Maria disse...

Como é possível essa professora...?
E a ternura dos meninos, não querendo ver a mãe chorar...
... quem sai daqui com água nos olhos sou eu...

Um beijo grande

samuel disse...

Mais uma vez, a capacidade que têm alguns poetas, de transformar a lama do preconceito e do racismo... numa "escultura" muito bonita e ternurenta.

poesianopopular disse...

Continua a ser uma questão,para a qual a humanidade, não tem prestado a devida atenção.
Quem são os professores dos nossos filhos?
F. Samuel,não é por acaso que o josé Craveirinha, faz parte da tua biblioteca!
abraço camarada.

Fernando Samuel disse...

ludo rex: o ideal supera a adversidade..
Um abraço.

maria: também me acontece isso quando leio este poema...
Um beijo grande.

samuel: aí está!
Um abraço.

poesianopopular: e é um poeta nosso...
um abraço.

Ana Camarra disse...

Pois, infelizmente continua a acontecer, menos mas continua.

beijos

Utopia das Palavras disse...

É díficil dar a "volta"
mas o caminho faz-se...

beijos
Ausenda

Sal disse...

Poema doloroso e belo.
Sabes sempre deixar-me a pensar...
bjs

Justine disse...

Mais um retrato comovente deste poeta do quotidiano. Tão belo

Fernando Samuel disse...

ana camarra: até que un dia o homem novo construa o mundo novo...
Um beijo.

ausenda: ... caminhando, pois claro...
Um beijo amigo.

sal: neste caso o culpado é o Craveirinha...
Um beijo amigo.

justine: mais comovente ainda porque se trata de um quotidiano prisional...
Um beijo.

Hilário disse...

O lutar por uma sociedade melhor implica obviamente o desaparecimento deste terrivel preconceito, vamos conseguir.

Abraço

Fernando Samuel disse...

hilário: e de muitos outros preconceitos...
Um abraço.