DIA NACIONAL DE LUTA

Foi ontem - e promete ter a continuidade necessária no futuro imediato.
Foi ontem - dia em que a CGTP-IN comemorava o seu 38º aniversário.

Este Dia Nacional de Luta foi mesmo Nacional e de Luta.
Por todo o País milhares e milhares de trabalhadores disseram «não» ao Código do Trabalho e exigiram os direitos a que têm direito, recorrendo às mais diversificadas formas de intervenção:
greves, paralizações, plenários, concentrações, desfiles - registando elevados níveis de adesão em práticamente todas as áreas de actividade, no sector público como no privado.

O Governo diz que não foi nada.
A verdade diz que foi muito.
«O Governo baseia os seus dados nas respostas administrativas dadas por uma amostra de serviços» - e fala em «cerca de 11% de adesões».
Os sindicatos baseiam os seus dados «naquilo que vêem no terreno» - e informam que a adesão atingiu 75 %.

O secretário de Estado da Administração Pública diz que «os serviços encerrados não serão mais de 20».
No entanto, segundo dados do Governo ontem divulgados - certamente devido a lapso «informativo»... - só «em relação às escolas (ensino superior à parte) fecharam portas 264, por falta de pessoal»...

Ontem, ao fim da tarde, a CGTP-IN anunciou novas iniciativas para a próxima semana.
Isto é: A LUTA CONTINUA!


(P.S.: a UGT não aderiu ao Dia Nacional de Luta)

7 comentários:

Hilário disse...

Fernando,

Foi uma boa jornada de luta em todas as Regiões.

Para a próxima semana vamos continuar a nossa luta com uma série de Acções sob o lema, pelo Trabalho Digno ou seja Trabalho com Direitos

Tribunas Públicas no(Norte;Centro;Lisboa e Vale do Tejo;Alentejo e Algarve).

A luta continua!

Maria disse...

Por norma, o patronato (ou os seus lacaios, leia-se UGT) não aderem à justa luta dos trabalhadores...
Foi uma grande jornada de LUTA, sim!
Que vai continuar, sempre, onde e quando for necessário...

Um beijo grande

Antuã disse...

A união Geral de Traidores não adere às lutas. quando faz qualquer coisa é para parecer que faz.

Ana Camarra disse...

Foi muito foi, por muito que não queiram foi!
E a luta continua...


beijos

poesianopopular disse...

Meus caros, a UGT não pode estar em todo o lado, se ela aderiu à anti-greve, não podia estar na greve!
E mais eles são rapazinhos bem comportados, têe vergonha de fazer greve!

Anónimo disse...

Acho que se dá mais importancia à porcaria dos números, do que aos problemas das pessoas. Quando uns dizem 75% e outros 11%, ou seja o 8 e o 80, acho nao podemos confiar em nenhum deles.
O importante é perceber os problemas, agora a guerra do numeros, enfim.... o país que temos.
Um abraço

J.Z.Mattos

Fernando Samuel disse...

hilário: e é fundamental que continue...
Um abraço, camarada.

maria: esse é, de facto, uma norma de todos os tempos e de todos os lugares.
Um beijo grande.

antuã: para isso foi criada pelo partidos da política de direita.
Um abraço.

ana camarra: e tem que continuar!
Um beijo.

poesianopopular: é verdade: e como só pode estar num lado, está no lado dos patrões...
Um abraço.

J.Z.Mattos: eu confio nos sindicatos e não confio no Governo.
Um abraço.