Crise? Qual crise?!?

"A Jerónimo Martins (JM) registou um aumento de 38,1 por cento nos lucros para os 121,4 milhões de euros, nos primeiros nove meses deste ano. Estes aumento supera previsões dos analistas, que apontavam para resultados líquidos de 111,9 milhões de euros."

Parafraseando o outro: "os números não enganam..."

8 comentários:

poesianopopular disse...

É um fartar vilanagem!
Será que estes tambem fazem parte do grupo que se recusa a pagar o novo e miserável salário mínimo?
Só existe uma alternativa, aumentar a única coisa, que deve ser aumentada - a votação no PCP/CDU. Bora nessa!
Abraço

Ana Camarra disse...

POois que engraçado...
Acho que deviam ter uma ajuda governamental, não serão menos que o Sr. Azevedo.

beijos

salvoconduto disse...

Porra, não foi assim tanto...

Coitado do homem, aquela gangada dos trabalhores dele vão ter que dar mais ao pedal, para ver se para o ano conseguem obter resultados de jeito.

Abraço

Ludo Rex disse...

'Eles' continuam a encher os bolsos...
Abraço

samuel disse...

Está feito ao bife! Agora, se e quando avançar aquela "demência" do aumento do ordenado mínimo, que é o que deve ganhar uma boa parte das centenas e centenas de funcionárias e funcionários dos seus supermercados (por exemplo), o homem vai à falência...

Abraço

José Neves disse...

Zé Manangão: um dia o povo alterará o rumo do voto, não há outra alternativa.

Ana Camarra: eles não esperam pela demora... A MFL já afirmou que ou se apoia as empresas ou não há subida de salário que se aplique...

Salvoconduto: este ano os lucros são 38%, para o ano serão outro tanto, que, tendo em conta subida deste ano, inerentemente será maior em termos monetários.

Ludo Rex: "não há mal que sempre dure"...

Samuel: entretanto substituem os operadores de caixa por caixas automáticas e têm o problema resolvido.

Abraços,

Fernando Samuel disse...

Os lucros «deles» superam sempre as previsões dos analistas...

Abraço.

Hilário disse...

Agora percebo a celebre tese da Manelinha quanto ao aumento do salario minimo, que grande preocupação a da senhora.

Abraço