FACTOS E PROPAGANDA

Os factos dizem que a pobreza aumenta no nosso País.
Sócrates diz que diminui.

Esta discordância entre os factos e a propaganda não teria importânciade maior se não estivessemos a falar de pessoas - seres humanos!- que passam fome, e se essa fome não fosse uma das muitas consequências da política de direita praticada por Sócrates.
Assim, as manifestações de optimismo alvar do primeiro-ministro assumem uma expressão não apenas de descarada falsidade mas também de profunda hipocrisia e desrespeito pelos cidadãos.

Mas vamos aos factos:
Segundo dados ontem divulgados, nos primeiros nove meses deste ano o número de pessoas extremamente necessitadas que recorreu aos pedidos de ajuda, aumentou 20% em relação a igual período do ano de 2007.
Alimentos e roupas são das necessidades mais sentidas.

Acresce que:
entre os que agora procuram ajuda, encontram-se muitos que, ainda não há muito tempo, ajudavam com donativos vários;
no conjunto dos que se vêem forçados a pedir ajuda, cresce a percentagem de idosos e jovens;
muitos desses necessitados são pessoas que têm trabalho - mas cujos salários não dão para comer.

Estes são os factos. Incontestáveis.
E bem elucidativos da situação criada pelo Governo de Sócrates e pelos que o antecederam ao longo dos últimos 32 anos.

Até quando?

15 comentários:

Ana Camarra disse...

Até este povo acordar!


beijos

alex campos disse...

A falência desta política está mais que demonstrada, vai servindo cada vez mais uma minoria, até que a maioria abra os olhos. Ou acorde, como diz a ana.

Abraço

samuel disse...

Enquanto durar a cara de pau... e a resignação dos portugueses.

Hilário disse...

Fernando,
vamos ter que continuar a combater com as nossas armas(o contacto directo com as pessoas, idas aos mercados, empresas, comicios,convivios e outro tipo de iniciativas). São com estas armas que um dia será possivel acabar com todas estas mentiras, termos finalmente uma verdadeira politica de defenda o nosso povo.

Um abraço

Hilário disse...

quero dizer:
que defenda o nosso povo.

Antonio Lains Galamba disse...

levanta-te meu povo, que quando o povo acorda é sempre cedo!

não bem por estas palavras, mas por outras que não sou capaz de reproduzir na integra, o ary deu a resposta ao teu "até quando?"

levanta-te meu povo...

um abraço. tamanho do mundo. e da nossa «fome»

Antuã disse...

Nos princípios dos anos 50 do século passado víamos a caminho de feiras emercados inúmeros mendigos. Hoje, com esta Esquerda Moderna aliada à Direita, vemo-los por tudo quanto é sítio, seja cafés, ruas, praças, grandes superfícies comerciais, mercados, portas das igrejas, etc. O execrável socretino terá a lata de desmentir isto?!... Ele é capaz de tudo.

Maria disse...

O homem anda cada vez mais cego e analfabeto.
Quando o Povo perceber e acordar, e o castigar nas próximas eleições...
Que poemas faria o Ary hoje, se estivesse vivo?

Um beijo grande

julio disse...

o nosso 1º é um brincalhão, só lamento que brinque com a desgraça dos portugueses, provocada pela politica dele e dos seus amigos da Cee.

Fernando Samuel disse...

ana camarra: e há-de acordar... mais cedo ou mais tarde...
Um beijo.

alex campos: acordar, é preciso - coisa que exige muito trabalho.
Um abraço.

samuel: uma resignação cujo processo de fabricação vem de longe...
Um abraço.

hilário: e são armas poderosas essas de que dispomos, especialmente as que decorrem da ligação do Partido aos trabalhadores.
Um abraço.

antónio lains galamba:
«Levanta-te meu Povo. Não é tarde.
Agora é que o mar canta, é que o sol arde
pois quando o povo acorda é sempre cedo»...
um abração.

antuã: a diferença entre os anos 50 e hoje está na... «modernidade»...
Um abraço.

maria: o Zé Carlos faria esta corja em cacos...
Um beijo grnde.

Fernando Samuel disse...

júlio: e essa é que é a questão...
Um abraço.

Ludo Rex disse...

A malta já está mais que farta de propagandas e mentiras. Temos que dar volta a isto e já!
Abraço

Fernando Samuel disse...

ludo rex: vamos a isso!
Abraço.

José Espremido Até Ao Tutano disse...

E o Povo mantém-se impávido e sereno, como cordeirinhos à espera da facada fatal!

Fernando Samuel disse...

josé espremido até ao tutano: obrigado pela visia e pelo comentário.
Abraço.