POEMA

AS GRANDES ESPERANÇAS


«Grandes esperanças estão postas,
todas, sobre vós»,
dizem os senhores solenes: e também:
«Tomai,
aqui tendes a escola e a despensa. Sois maiores
e livres de escolher,
é claro sem imprudentes romantismos.
A verdade é que deveríeis estar-nos gratos.
No entanto bastam-nos as grandes esperanças,
bem vêdes, todas postas em vós».

Venho em cada manhã,
cada manhã venho para ver
o que não existia ontem,
como em nome do Pai se resolveu,
e como cada data livre foi entregue,
dada em aval, subscrita pelos
pais nossos
de cada dia.

Cada manhã venho para ver
que tudo está servido (ao entrar
saúdam-me, levantando os olhos, um momento)
e cada manhã pergunto-me,
cada manhã pergunto-me quantos somos
nós, e de quem vimos,
e que preço pagamos por essa confiança.

E talvez,
quem sabe, não vimos para isso.
A questão reduz-se a estar vivo um momento,
ainda que não mais do que um momento,
a estar vivo,
justamente nesse minuto,
quando escapamos
ao melhor dos mundos impossíveis.
O mundo onde nada importa - nem sequer
as grandes esperança que estão postas
todas sobre nós, todas,
e assim pesam

Jaime Gil de Biedma

8 comentários:

Ana Camarra disse...

Olha também não conhecia, é lindo.
Podes passar a ter o titulo de "Apresentador de Poetas Fabulosos á Ana".

Muito Obrigado

Um beijo

poesianopopular disse...

De certaza que tens a maior biblioteca de poetas revolucionários...é cada malha!
abraço grande

Ludo Rex disse...

A esperança está na Luta...
Abraço

Fernando Samuel disse...

ana camarra: podes crer que seria um título muito honroso para mim.
Um beijo grande.

poesianopopular: tenho para aí cerca de um milhar de livros de poesia - de poetas, revolucionários, uns; nem por isso, outros, etc, etc....
Um abraço grande.

ludo rex: e a luta é a esperança...
Um abraço grande.

Maria disse...

Mais um poeta que eu não conhecia...
Obrigada, Fernando Samuel

Um beijo grande

Fernando Samuel disse...

maria: vou publicar mais coisas dele.
Um beijo grande.

samuel disse...

Ele realmente há poetas... estamos aqui um "bocadito" longe do inefável "batem leve, levemente..." :)))
Obrigado!

Fernando Samuel disse...

samuel: há poetas que até parece que estão a ouvir tudo...
um abraço.