20 MIL MILHÕES

Ao longo dos anos (já lá vão 32!), tem-nos sido dito que «O Estado não tem dinheiro».
É claro que tal afirmação significa, rigorosamente, isto: «O Estado não tem dinheiro para melhores salários, reformas e pensões; para a Saúde; para o Ensino...» - ou, dito de outra forma: «O Estado não tem dinheiro para nada que tenha a ver com a melhoria das condições de vida de quem trabalha e vive do seu trabalho».

Para outros destinos, é evidente que o Estado tem dinheiro. Muito. O que for necessário.
É o que Sócrates acaba de demonstrar ao anunciar que o Estado vai disponibilizar 20 mil milhões de euros para os banqueiros, ou, como dizem os jornais, «para restabelecer a confiança no sistema financeiro».
20 mil milhões!: muito dinheiro tem este Estado!

Pronto, os portugueses podem dormir descansados: a Banca está salva.
O pesadelo continua.

13 comentários:

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

Tens de ver que isto é tudo para nosso bem!
Sacana de feitio, para além disso estão a garantir, melhores reformas e melhores cuidados de saude, PARA ELES!
Não são os senhores da Banca que quando acaba a legislatura lhes garantem um tacho com administrador?
Costumam, não costumam?
Pronto, estão a defender os interesses nacionais....
Do Portugal dos pequeninos politicos, de preço e consciência pequenininha...

beijos

Ludo Rex disse...

Ainda hoje falavam-mos disto no serviço... Afinal este dinheiro vem de onde? Tens razão só não há dinheiro para salários e outras necessidades do Povo... Com tanto dinheiro vamso continuar na mesma cepa torta... Um Abraço

Aristides disse...

Onde raio terá ido desencantar 20 mil milhões de euros? Este homem é um génio das finanças. Não veio de Coimbra, é certo, mas uma Universidade Independente também não é nada de desprezar em termos de curriculo

samuel disse...

Hás-de arranjar muitos amigos milionários ou banqueiros com esse raio desse feitio! :-)

Abraço

Maria disse...

Ainda se eu fosse dona de Banca...
:)))
Tens razão, o pesadelo continua...

Um beijo grande

Antonio Lains Galamba disse...

que é isso de 20 milhões? puf. fernando samuel és mesmo picuinhas. deixa lá ajudar os banqueiros. coitaditos. estão numa crise tão grande... neste blog existem mesmo más línguas. :)

Anónimo disse...

não me apetece escrever nada para comentar, é fazer de nós "atrasados mentais"...

julio disse...

desculpem, não sou anonimo, chamo- me julio.

Antuã disse...

Coitadinhos dos banqueiros que tanto trabalho têm para inventar maneiras de nos roubar!...

Pintassilgo disse...

Privilegiadas mesmo são as pessoas com deficiência.

do zambujal disse...

Oh! António S.: são 20 mil milhões não são 20 milhões. São só mais três zeros (à direita!). Também que diferença faz?!
Quanto ao sítio de onde eles vêm é questão curiosa: de onde é que vem o dinheiro? Quem é que o faz? Que valor tem? Estes 20 mil milhões não serão nada de novo, serão meras transferências de valor que os trabalhadores, ao longo de séculos e hoje, criaaram. Transferências dos que menos têm e dos que menos podem para os que querem ter tudo... e o Estado/Governo faz de intermediário!
Oh!, meus amigos a luta de classes, a luta de classes, o meterialismo histórico, essas coisas... A ideologia, porra!

Abraços camaradas

Fernando Samuel disse...

ana camarra: não há dúvida, são os nossos benfeitores; sem eles o qe seria de nós?...
um beijo.

ludo rex: dinheiro há, só que...
Um abraço.

aristides: e olha que entre Coimbra e universidade independente... não sei que te diga.
Abraço, camarada.

samuel: pois é, nunca mais aprendo...
abraço.

maria: se fosses dona de Banca já viste as preocupações que tinhas, quanto terias que trabalhar, etc,etc?...
um beijo grande.

antonio lains galamba: isto é só má língua, meu menino... (20 mil milhões!)
Abraço grande.

júlio: pronto, não escrevas...

antuã: são uns infelizes, uns mouros de trabalho...

pintassilgo: se são, acho que elas não sabem..

do zambujal: a luta de classes?: mas a luta de classes não acabou?; a ideologia?: mas as ideologias não acabaram?...
Um abraço grande.

Chalana disse...

Não é a primeira vez que escrevemos sobre o artista... Mas este dá que falar!!!!

Nuno Telles (com 2 LLs como cai bem à pequena-burguesia) tem o espcial condão de chamar a nossa atenção. Agora é a propósito da crise capitalista, que o Nuno TeLLes se esforça por resolver como um bom e inteligente burguês que é.

Diz o Beto de Esquerda:

"É pois necessário que os governos ajam de forma rápida e coordenada para evitar o colapso do sistema financeiro"

O Telles defende, portanto, que os Estados unidos burgueses (sejam americanos ou europeus) espatifem o dinheiro pago pela classe trabalhadora sob a forma de impostos, para que se salve o rabinho dos capitalistas, ou dito de forma a ser engulido pela esquerda moderna, para que se evite o "colapso do sistema financeiro".

Para "esquerda" que é "moderna", não está nada mau! Claro, para salvar a face (a face da dita "esquerda") lá vêm as "medidas dificilmente caracterizáveis como radicais" [ nisso até estamos de acordo!!!]

Mas o que mais ESPANTA, é que a "esquerda moderna", a "esquerda a valer", entre tantas "medidas dificilmente caracterizáveis como radicais" não se atreva exigir, o que fazem já constrangidos, os agentes directos da burguesia: nacionalização da banca.

Mais papistas que o Pápa?!?!