O QUE ESTÁ A DAR...

O caso é relembrado no Público de hoje.
Dois ex-ministros vão defender os interesses da Lusoponte na renegociação do contrato de concessão da gestão e exploração das travessias rodoviárias do Tejo.
São eles:
Joaquim Ferreira do Amaral, que foi ministro das Obras Públicas de Cavaco Silva - e hoje é Presidente do Conselho de Administração da Lusoponte;
e de Jorge Coelho, que foi ministro do Equipamento Social de António Guterres - e hoje é Presidente Executivo da Mota-Engil, principal accionista da Lusoponte.

Ambos, enquanto ministros, negociaram, em representação do Governo, o primeiro, o contrato de concessão; o segundo, os acordos de reequilíbrio com a empresa - empresa da qual viriam a ser, enquanto ex-ministros, quadros superiores de direcção.

Murteira Nabo - também ele ex-ministro do Equipamento Social de António Guterres (e actual chairman da Galp) - é quem vai presidir a Comissão Técnica criada pelo Governo de Sócrates, para decidir as negociações que agora vão ter lugar.

Estes são os factos - concretos, objectivos, incontestáveis e incontestados.
Factos que se situam a montante e a jusante das muitas coincidências que assomam deste complexo e longo processo.
E é claro que só gente mal intencionada poderá ver nesta série de coincidências algo mais do que isso mesmo: coincidências...

Em todo o caso... é caso para dizer que ser ex-ministro é o que está a dar...

8 comentários:

samuel disse...

O que é curioso é que estão sempre a "coincidir" no mesmo...

Maria disse...

É, de facto, apenas mais uma coincidência...

Até já. Um beijo

Fernando Samuel disse...

samuel: há coincidências que... coincidem...
Abraço.


maria: a vida de certas pessoas está cheia de coincidências dessas...
Um beijo e até já.

Ana Camarra disse...

Já estou como o outro coincidências do arco da velha...do caraças....de....(não posso escrever)

beijos

Antuã disse...

São coincidências a mais. isto cheira a bispo.

alex campos disse...

Este tipos vão abusando enquanto o povo não abrir os olhos. Até já se dão ao luxo de nem sequer disfarçarem. Podiam ao menos ter um pouco de vergonha.

Abraço

Ludo Rex disse...

Tachos, tachos e mais tachos... sempre da mesma comida e com o mesmo tempero...
Um Abraço

Fernando Samuel disse...

ana camarra: exactamente, é isso mesmo...
Um beijo.

antuã: há esturro, há...
Um abraço.

alex campos: vergonha é coisa que desconhecem...
Um abraço.

ludo rex: o tacho - instituição nacional...
Um abraço.