SOLIDARIEDADE

Multiplicam-se os sinais de que o imperialismo norte-americano pôs em movimento uma operação organizada visando liquidar oa processos democráticos em curso em vários países da América Latina.
Parece não haver dúvidas sobre o envolvimento do Governo dos EUA, desde o início, no golpe dos militares fascistas nas Honduras - e são evidentes os seus esforços para que os golpistas se mantenham no poder.
Ao mesmo tempo, acentuam-se as pressões (e mais sabe-se lá o quê...) sobre países como a Venezuela, a Nicarágua, a Bolívia, o Equador, o Paraguai...
Isto para não falar do criminoso embargo a Cuba e do financiamento aos homens de mão do Império no interior e no exterior da Ilha.

A atitude dos EUA sobre os acontecimentos das Honduras é bem elucidativa.
Sabe-se que, ao «apelo à insurreição» feito pelo Presidente Zelaya, as ruas da capital hondurenha voltaram a encher-se de povo - e que os manifestantes ocuparam e ergueram barricadas nos principais acessos a Tegucigalpa.

Ora, perante isto, logo o Governo dos EUA se apressou a pedir «a todos os intervenientes sociais e políticos das Honduras para encontrarem uma solução pacífica»... Pois...
E logo o Presidente Obama, «preocupado» com a situação, «aconselhou o Presidente Manuel Zelaya a ter paciência e a dar ao governo de Roberto micheletti uma oportunidade de diálogo»... Pois... a continuação do tal «diálogo» de inspiração obamista que muito tem contribuído para manter os golpistas no poder.

Paralelamente a tudo isto, um relatório do Congresso dos EUA, acusa a Venezuela (no relatório sintomaticamente designada por «o narco-estado venezuelano»...), de ser «o principal centro de distribuição de cocaína» - facto que, diz o relatório, exige «no mínimo uma revisão profunda da política dos EUA para com a Venezuela»...
A História da América Latina (e não só) está cheia de exemplos trágicos do que significam estas «revisões profundas»...

É bem possível que esta ofensiva imperialista se acentue nos tempos que aí vêm.
Que, por isso mesmo, serão tempos de luta para os povos latino-americanos.
Que, por isso mesmo, serão tempos de solidariedade de todos os povos do mundo com essa luta.

6 comentários:

Irlando disse...

Viva!Fidel.

samuel disse...

Cá estaremos... como sempre!

Abraço.

Maria disse...

Nos últimos tempos vibrámos com cada vitória dos povos da América Latina. E dissemos que esses povos estavam a dar exemplos.
E estão. Agora em tempo de resistir. E nós aqui estamos, e estaremos, para condenar uma e outra vez o apoio dos EUA aos golpistas e para caminharmos ao lado do povo hondurenho hoje, e dos outros povos ameaçados se e quando for necessário.

Um beijo grande

Antuã disse...

Vivam todos os povos da América Latina.

Ana Camarra disse...

Até quando?
Nunca mais largam o quintal...
Mas cá estamos

Hasta la Victoria!

beijos

Fernando Samuel disse...

Irlando: VIVA CUBA!
Um abraço.

samuel: e outra coisa não podemos nem sabemos fazer...
Um abraço.

Maria: é este o nosso lugar.
Um beijo grande.

Antuã: Viva a solidariedade internacionalista!
Um abraço.

Ana Camarra: ...Siempre!
Um beijo.