POEMA

ARTE POÉTICA


A poesia não está nas olheiras de Ofélia
nem no jardim dos lilases.

A poesia está na vida.
Nas artérias imensas cheias de gente em todos os sentidos,
nos ascensores constantes,
na bicha de automóveis rápidos, de todos os feitios e de todas as cores,
nas máquinas da fábrica
e nos operários da fábrica
e no fumo da fábrica.
A poesia está no grito do rapaz apregoando jornais,
no vai-vem de milhões de pessoas ou falando ou praguejando ou rindo.
Está no riso da loira da tabacaria,
vendendo um maço de tabaco e uma caixa de fósforos.
Está nos pulmões de aço cortando o espaço e o mar.
A poesia está na doca,
nos braços negros dos carregadores de carvão,
no beijo que se trocou no minuto entre o trabalho e o jantar
- e só durou esse minuto.
A poesia está em tudo quanto vive, em todo o movimento,
nas rodas dos comboios a caminho, a caminho, a caminho
de terras sempre mais longe,
nas mãos sem luvas que se estendem para seios sem véus,
na angústia da vida.

A poesia está na luta dos homens,
está nos olhos rasgados abertos para amanhã.


Mário Dionísio

6 comentários:

Ana Camarra disse...

Sempre adorei este poema, sim a poesia está na vida!

Beijos

samuel disse...

Está na rua!

Ana Martins disse...

O Chico Buarque tem um na mesma linha "Tem mais samba".

Muito bom!

A. João Soares disse...

Sugere-se uma visita ao blog Sempre Jovens, a leitura do post Vamos limpar Portugal e a sua divulgação o mais alargada possível.
Portugal precisa que todos os cidadãos exerçam o seu dever de cidadania e de civismo, sempre e mais precisamente em 8 de Novembro.

Cumprimentos
A. João Soares

Ludo Rex disse...

Sempre na Luta!
Abraço

Maria disse...

A poesia está dentro de nós. Por isso está na vida, na luta, "nos olhos rasgados abertos" para o futuro...

Um beijo grande