RECAPITULANDO...

Dias Loureiro (DL) integrou, como ministro dos Assuntos Parlamentares e ministro da Administração Interna, vários governos do então primeiro-ministro Cavaco Silva, após o que - seguindo a conhecida tradição de ex-governantes de passarem a dedicar-se ao mundo dos negócios - passou a administrador do grupo BPN.
Há três anos, e a convite pessoal do Presidente da República Cavaco Silva, DL passou a integrar o Conselho de Estado.

Com a falência do BPN, surgiram dúvidas sobre o grau de envolvimento de DL em todo o processo - dúvidas que o visado entendeu clarificar e esclarecer.
Rejeitada pelo PS a proposta que fez de, para o efeito, se deslocar à Assembleia da República, DL conseguiu que a RTP o entrevistasse.

Na referida entrevista, DL
esclareceu que não teve conhecimento nem participou nas irregularidades detectadas.
Pronto: está esclarecido.

esclareceu que confiou sempre nas boas intenções e na boa gestão de Oliveira e Costa.
Pronto: está esclarecido.

esclareceu que tinha toda a confiança nos mecanismos de controlo do grupo, enunciando-os: «havia auditorias, havia a supervisão do Banco de Portugal, havia pessoas em quem confiava cegamente».
Pronto: está esclarecido.

esclareceu que, por existirem todos esses mecanismos de controlo, estava tranquilo e assinava as contas mais ou menos de cruz.
Pronto: está esclarecido.

esclareceu que, em Abril de 2002, teve uma conversa com o então vice-presidente do Banco de Portugal, António Marta, ao qual pediu que dedicasse uma atenção especial ao BPN..
Aqui chegada, a sucessão de esclarecimentos de DL foi interrompida por um desmentido de António Marta que corrigiu: «Ele veio perguntar-me por que é que o Banco de Portugal andava tão em cima do BPN» - e acrescentou: «Ele quer ilibar-se».
DL ripostou com a «verdade dos factos»: «Fui dizer ao Banco de Portugal: estejam atentos, exerçam a supervisão»; e António Marta ter-lhe-ia dito: «Estaremos atentos ao BPN e a porta estará sempre aberta para si».
António Marta ripostou: «Ele queria saber por que é que o Banco de Portugal estava com tantas dúvidas sobe o BPN»...
Pronto. Está tudo por esclarecer.

E enquanto aguardamos o esclarecimento total dos factos, eis que somos postos perante mais um intrigante caso a exigir esclarecimento total.
Refiro-me ao comunicado ontem emitido por Cavaco Silva no qual o Presidente da República diz não poder «tolerar a continuação de mentiras e insinuações visando pôr em causa o meu bom nome».
Ora, tanto quanto se sabe, nada do que até agora foi publicado sobre o caso BPN justifica tal comunicado do PR. Se «mentiras e insinuações» houve, não vieram a público - pelo que a indignada reacção de Cavaco Silva - certamente legítima e fundamentada - é, no mínimo, incompreensível para quem conhece do caso apenas o que do caso foi noticiado.

Aguardemos, então, os esclarecimentos.
Todos os esclarecimentos.

10 comentários:

samuel disse...

É tudo bastante "esclarecedor"! :-)

Abraço

CS disse...

Para mim está tudo mais do que esclarecido!

Ana Camarra disse...

Eu por acaso já me sinto suficientemente esclarecida e enojada também.

beijos

Ludo Rex disse...

Só sabemos que nada está esclarecido... Até quando?
Abraço

Antuã disse...

Está tudo mais que esclarecido. a Mafia está no poder. É urgente que o Povo tome consciência disso para actuar em conformidade.

Justine disse...

Acabei de comentar este assunto com S., e parece-nos tudo tão a despropósito...a conclusão é que isto é assim um punhado de areia atirada aos olhos cá do pessoal. Será??

poesianopopular disse...

...E já agora, se não se importam, façam o favor de nos dizer, quando serão repostos, os 66 milhões que voaram, em várias direcções.
A sorte desta canalha, é este povo ser manso!
Abraço

Maria disse...

E tudo vai ficar por esclarecer.
O Constâncio sabia de tudo, desde o princípio. Falou o que falou, já lhe disseram que falou demais...
Hoje, para quem quis entender, o PR (de quem não gosto) já mandou alguém ler as lei que regem o Conselho de Estado, justificando a razão por que não pode ser demitidos conselheiros de Estado.
O DL disse que se sentir que está a ser um "incómodo" para o PR que se demitie, mas como não sente...

Quem é que aqui neste grupo não sabe português?

Um beijo grande

julio disse...

hummm!esclarecidos...
ainda a procissão vai no adro!...

alex campos disse...

O Cavaco fez-me lembrar daquela expressão popular: "chama-lhe ****, antes que ela te chame a ti.

um abraço