EXPERIÊNCIA PRÓPRIA

A frase é esta:
«Basta ler as teses do PCP, para ver que não quer aliança nenhuma. Aliás, nunca quis, e foi um dos males da nossa democracia em 74/75. O PCP privilegiou um entendimento com um sector do MFA em detrimento da aliança com o PS».

Quem a proferiu foi Manuel Alegre, deputado do PS há (se a memória me não falha) 33 anos.

A frase sugere algumas observações:
Ao dizer o que disse, Alegre sabia -melhor do que ninguém - que estava a mentir:

sabia, em muitos casos por experiência própria, dos muitos esforços desenvolvidos pelo PCP para alianças e entendimentos com o PS, antes, durante e depois do 25 de Abril - e das respostas do PS e das suas opções em matéria de alianças;
sabia, por experiência própria, que o PS se assumiu, desde cedo, como vanguarda da contra-revolução;
sabia, por experiência própria, que o PS esteve ligado ao terrorismo bombista que, financiado pelos serviços secretos dos principais inimigos da Revolução de Abril, espalhou o terror, destruíu centros de trabalho do PCP, e feriu e matou vários militantes comunistas;
sabia, por experiência própria, que essas acções terroristas tinham como objectivo impedir o povo português de decidir sobre o seu futuro e, por isso, configuravam autênticos actos de traição nacional;
sabia por experiência própria, que o PS, protagonizando uma política de alianças com tudo o que de mais à direita existia em Portugal, foi o iniciador da política de direita que há 32 anos tem vindo a flagelar os trabalhadores, o povo e o país, e a vender a soberania nacional ao grande capital;
sabia, por experiência própria, muito mais do que todos nós sabemos - e certamente muito mais que só ele sabe e não diz a ninguém...

Assim, ao dizer o que disse e assobiando para o lado em relação a toda a sua vasta experiência própria, o Alegre de hoje confirmou e avalizou o Alegre desses tempos - o que é bem revelador dos seus objectivos actuais...

11 comentários:

Ana Camarra disse...

Mas o artista é o mesmo.
Diz uma coisa, faz outra, baralha e volta a dar.
No fim não é igual aos outros, é pior, muito pior!

beijos

samuel disse...

Fernando Samuel!...
Não "incomodes" o senhor, que ele está a reflectir...

Abraço

João Valente Aguiar disse...

O Manuel Alegre devia era ter a ombridade de assumir o que andou a fazer nas suas conspirações com gente da direita mais reacionária no processo revolucionário de 74 e 75, como o livro "A verdade e a mentira na Revolução de Abril" do Álvaro demonstra inequivocamente. Mas, evidentemente, ao Manuel Alegre o que não tem em dignidade sobra-lhe em verborreia e anti-comunismo.

Um abraço

Jorge disse...

Sem comentários:

“Perante estas eleições o PS definiu uma orientação sem ambiguidades: apresentar-se-á só, recusando quaisquer alianças (...)
0 Partido Socialista considera que o Povo Português, através de uma expressiva votação, lhe dará as condições para governar sozinho. Mas se assim não acontecer, e os partidos da direita em conjunto vierem a obter a maioria, o Partido Socialista respeitará a escolha e passará à oposição. (...)
Por isso decidimos pôr o eleitorado perante uma opção extremamente simples: ou vota em nós, de forma a podermos governar sozinhos (...) ou passaremos à oposição (...)”
Mário Soares, 14 DE MARÇO DE 1976.
http://www.arqnet.pt/portal/discursos/marco02.html

“Ainda bem que ele [Mário Soares] tem posições polémicas. É sinal de vitalidade política. Estamos numa situação completamente diferente da de 1975. E se Mário Soares defende hoje a convergência da esquerda, tem autoridade para o fazer, precisamente porque foi ele quem, em 1975, combateu a deriva esquerdista da nossa Revolução...
(...)
O PS deve ir sozinho a eleições e bater-se por uma maioria absoluta.”
Manuel Alegre, Semanário - 5/3/2004
http://www.ps.parlamento.pt/?menu=opinioes&id=3781&leg=

Crixus disse...

Será que ele se lembra das reuniões com o Spinola e com a direita radical, como lembra o João Valente Aguiar, e daquilo que lá discutiam? Se calhar já não se lembra, é que 33 anos de parlamento devem dar a volta ao miolo de qualquer um, e além disso era muita lembrança.
Um Abraço

Maria disse...

Ele não é esquecido, não sofre de Alzheimer (que se saiba), nem de outra doença do foro mental (que se saiba). Só pode mesmo estar a mentir a ele próprio...
... porque nós não esquecemos nada, mesmo...

Um beijo grande

Antuã disse...

São tão tristes os que vão atrás destes alegres!...

julio disse...

mais uma vez o estarola, vota faladura para dizer mer...
esqueceu (ou faz que) depressa que ao nível de bases do ps,sempre disseram que o grande inimigo era o pcp, e nunca o ppd e cds.
eu posso afirma-lo porque tenho familiares que por essa altura andavam enganados nesse partido...

julio disse...

mais uma vez o estarola, vota faladura para dizer mer...
esqueceu (ou faz que) depressa que ao nível de bases do ps,sempre disseram que o grande inimigo era o pcp, e nunca o ppd e cds.
eu posso afirma-lo porque tenho familiares que por essa altura andavam enganados nesse partido...

do zambujal disse...

"Basta ler as teses..." para se ver que o Alegre mente desde a primeira fase, porque prova que não leu as teses, ou melhor, mesmo que tivesse lido, não percebia o que lá está escrito! Está lá uma (3.10.4) que fala em convergência e cooperação com os que "séria e convictamente, estejam empenhados numa ruptura com a política de direita e na construção de uma alternativa de esquerda" que são expressões para que ele é totalmente analfabeto! 'Tadinho.

Hilário disse...

O politico Manuel Alegre sempre foi um homem de grandes ligações à direita basta ver todo o seu rumo desde 1974 até aos dias de hoje, o seu anticomunismo primário continua.
Um Abraço