É PENA...

As preocupações há dias manifestadas pelo Presidente da República (PR) em relação àquilo que designou por «pobreza envergonhada», são justas. Justíssimas.

Esta «pobreza envergonhada» é, segundo o PR, composta por pobres que vêm juntar-se à «pobreza tradicional»: trata-se de pessoas que «têm emprego, casa e carro a pagar a crédito e que até recorrem ao e-mail para pedir ajuda».
Estes novos pobres «vivem sobretudo nos subúrbios das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto» e integram os vastos segmentos da sociedade portuguesa que, de há uns tempos a esta parte, andam menos de carro e mais de transportes públicos; comem menos vezes nos restaurantes e comem mais (quando comem...) em suas casas; procuram géneros menos caros nos supermercados; vão a menos espectáculos; compram menos roupas, menos livros, menos discos... - estes novos pobres onde crescem casos assim:
«pais que pedem compreensão por não poderem pagar a creche ou o jardim-de-infância dos filhos;
filhos que retiram os pais dos lares de idosos e os levam para casa, porque «as suas escassas pensões ajudam a equilibrar o magro orçamento familiar»...

Então, a «pobreza envergonhada» preocupa o PR.
É pena, no entanto, que as preocupações do PR não o motivem a debruçar-se sobre as causas dessa pobreza, de forma a não se ficar apenas pelas preocupações e a procurar as necessárias soluções.
Mas percebe-se que assim seja. É que se o fizesse com rigor e seriedade, o PR teria que concluir que a origem deste drama se situa na política de direita que há 32 anos tem vindo a flagelar os trabalhadores, o povo e o País. E, na sequência dessa conclusão, teria de concluir, igualmente, que ele, Cavaco Silva, é um dos principais responsáveis por essa política - especialmente nos dez devastadores anos em que foi primeiro-ministro e impôs aos portugueses essa monstruosidade que dá pelo nome de cavaquismo - monstruosidade ética, cultural, social, humana, política, civilizacional, que ficará como página negra na História de Portugal.

É pena, também, que às justíssimas preocupações com a «pobreza envergonhada», o PR não junte iguais preocupações com a riqueza desavergonhada de banqueiros gatunos, de capitalistas exploradores, enfim de todos aqueles que, como o PR sabe, são a causa da pobreza envergonhada e não envergonhada que alastra pelo país.

Enfim, é pena que as preocupações do PR com a «pobreza envergonhada» sejam, também elas preocupações... envergonhadas.

6 comentários:

maria teresa disse...

Realmente é.....pena!
É também pena, que os portugueses não tenham sido educados a não querem seguir o "sonho americano" no seu pior pesadelo!

samuel disse...

É natural, vindo de um presidente que é, ele próprio, uma vergonha!

Fernando Samuel disse...

maria teresa: cuidado: «o sonho americano`anda por aí...


samuel: um presidente igual... a si próprio...
Um abraço.

GR disse...

Quanto crescer a pobreza envergonhada,
a riqueza desavergonhada engorda.
O PR sabe, mas até ele está mais descarado.

GR

zé malhado disse...

Pois, o PR está muito preocupado. Mas se calhar a preocupação dele é de 22 anos de direita, ou seja 32-10(cavaquismos monstruoso)=22 anos. é fazer as contas. que gaste ele menos com carros e pensões e outros politicos que haveria mais dinheiro para apoiar as pessoas e os trabalhadores. excelente artigo e muito direitinho aos problemas.
Um grande abraço

Fernando Samuel disse...

gr: ele não mudou...
Um beijo.

zé malhado: ele é um dos maiores responsáveis por essa política.
Um grande abraço.