POEMA

VOU-ME EMBORA PRA PASÁRGADA


Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
lá tenho a mulher que eu quero
na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
de tal modo inconsequente
que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
vem a ser contraparente
da nora que nunca tive

E como farei ginástica
andarei de bicicleta
montarei em burro brabo
subirei no pau de sebo
tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
deito na beira do rio
mando chamar a mãe-d'água
pra me contar as histórias
que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
é outra civilização
tem um processo seguro
de impedir a concepção
tem telefone automático
tem alcalóide à vontade
tem prostitutas bonitas
para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
mais triste de não ter jeito
Quando de noite me der
vontade de me matar
- Lá sou amigo do rei -
terei a mulher que eu quero
na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada.


Manuel Bandeira

7 comentários:

GR disse...

Este poema é, Liberdade.
A fantasia, as boas recordações, a fuga para um mundo melhor, mais justo.
Pouco importa se é, uma ilusão.
Ao menos deixem-nos sonhar! E eu voarei nas asas da utopia, até PASÁRGADA!

GR

Maria disse...

Por casualidade estive a ler este poema enquanto via um programa sobre Cuba no Mezzo.
Ora lia ora olhava.
Chegou-me aqui o cheiro do Malecón.
E agora apetece-me voar até Pasárgada...

Excelente poema, Fernando Samuel.
Muito obrigada!

Beijo grande

maria teresa disse...

A VIDA EM FAMÍLIA

a vida em família tornou-se bem difícil
com as contas a pagar os filhos a fazer
ou a evitar a ranhoca a limpar
a vida de família não tem razão de ser
não tem razão de querer

a vida de família jangada de medusa
é o tablado da antropofagia

mas ficam os retratos cristo virgem maria
e os sobreviventes, que vão chupando os dentes

Alexandre O´Neill

Ana Camarra disse...

Também posso ir para Pasárgada?!

beijos

Lúcia disse...

Lá irei:)) Gosto tanto dete poema. Que bom encontrá-lo assim, brevemente, numa horita de almoço. Poesia é quando um homem quiser:))
beijos

Utopia das Palavras disse...

Sentir-me-ia mais feliz de certeza!!
Lá era...
o que idealizo!

Beijo
ausenda

Fernando Samuel disse...

gr: Pasárgada é o sonho de cada um de nós e que cada um de nós «sonha» para si...
Um beijo grande.

maria: daqui por uns anos (quando acabar o bloqueio, os atentados contra Cuba, etc, etc) talvez por lá encontremos Pasárgada.
Um beijo grande.

maria teresa: O'Neill é um sempre um espanto.
Abraço.

ana camarra: nem nós iríamos se tu não fosses...
Um beijo.

lúcia: poesia é... sempre...
Um beijo amigo.

ausenda: todos nós, de certeza...
Um beijo amigo.