VAMOS A ISSO?

Com o objectivo de «conseguir, já este ano, uma redução de 2% do défice», o Governo PS/PSD exibiu o seu Pacote.
O resultado está à vista nas manchetes dos jornais de hoje:

«Imposto extra sobre os salários»
«Impostos aumentam»
«Sobem todos os impostos»
«Portugueses vão perder até 1,5 % do salário para reduzir o défice»

Assim, o Pacote Sócrates/Passos Coelho vai arrecadar, este ano - roubando os trabalhadores e os reformados e pensionistas - os tais cerca de 1,5 milhares de milhões de euros que vão baixar o défice em 2%.

Sócrates diz que o Pacote «vai vigorar pelo menos até 2011» e que se trata de «um esforço colectivo e nacional que os portugueses vão entender» (os portugueses a que Sócrates se refere são, obviamente, os chefes dos grandes grupos económicos e financeiros...

Ora, se se trata de «um esforço colectivo e nacional» - e se já sabemos com quanto é que vão contribuir os que trabalham e os que já trabalharam - seria bom sabermos com quanto é que vão contribuir os que não trabalham e nunca trabalharam.

E aí é que o primeiro- ministro Sócrates/Passos Coelho torce o rabo...
No entanto, tudo seria simples e rápido se...

Aqui fica uma ideia: as fortunas das quatro famílias portuguesas mais ricas (quatro!, apenas quatro!) totalizam 7, 4 milhares de milhões de euros - pelo que, metade destas fortunas chega para reduzir a zero não sei quantos défices; e mesmo um quarto destas fortunas fará o défice em frangalhos.
Quer isto dizer que, se o primeiro-ministro bicéfalo quiser, o problema do défice pode ficar resolvido de um dia para o outro...
Faço-me entender?

Ou então, outra ideia (como se vê, hoje estou cheio de ideias...): a soma dos lucros dos quatro maiores bancos privados (quatro!, apenas quatro!) no ano de 2010, será de cerca de 1,5 milhares de milhões de euros (os lucros do ano passado foram superiores), portanto...
Faço-me entender?


Agora a sério: os tempos que aí vêm são de pesadelo e de terror.
São tempos de banditismo à solta, com os bandidos guardados pelas forças de segurança.
Preparemo-nos para lhes dar a resposta necessária.
No próximo dia 29 temos uma palavra a dizer.
Vamos a isso?

9 comentários:

CRN disse...

Avante!

GR disse...

Preparados estamos, só falta chegar o dia 29, para que estes ladrões ouçam bem alto a nossa indignação!

Bjs,

GR

smvasconcelos disse...

Lutar contra esta política, é que seria um válido esforço, colectivo e patriótico!
beijo

Maria disse...

O centrão que se avizinha é muito grave.
Bastava pegar nos exemplos que dás, eles não ficavam mais pobres (apenas um pouco menos ricos) e aí poderia haver alguma justiça social.
Assim vai ter a resposta que merece. Creio que estas medidas vão ajudar à mobilização de gente que nem pensava ir a Lisboa dia 29.

Um beijo grande.

filipe disse...

Sim, vamos!
E aproveitando todos os dias e todas as formas e locais para, com um esforço militante e renovado, ampliar a vontade de virem a participar na luta de dia 29 muitos mais milhares de manifestantes. Um esforço muito grande, mas exactamente à altura da brutalidade do assalto que eles preparam contra nós!
Um abraço fraterno e forte.

Fernando Samuel disse...

CRN: força!
m abraço.

GR: lá estaremos todos - e, se possível, mais alguns...
Um beijo.

smvasconcelos: exactamente!
Um beijo.

Maria: tem que ser uma muito grande manifestação.
Um beijo grande.

filipe: talvez o mais brutal assalto em toda a longa história de assaltos da política de direita.
Um abraço igual.

Nelson Ricardo disse...

De facto, são sempre os mesmos a pagar. Existe riqueza suficiente neste país para garantir a todos os seus cidadãos uma vida digna, está é nas mãos erradas.

Um Abraço.

Fernando Samuel disse...

Nelson Ricardo: essa é que é a grande questão.
Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Como é possível uma política que concentra a riqueza em tão poucos e depois vai roubar os pobres para pagar as dívidas que escandalosamente contraiu?

Beijos.