É AQUI QUE VIVEMOS

Diz-me como comemoraste o 1º de Maio, dir-te-ei em que país vives: esta adaptação de um conhecido provérbio popular ocorreu-me quando, há dias, li as notícias sobre as comemorações do Dia do Trabalhador na Bolívia e na Venezuela.

Num caso e no outro, grandiosas manifestações de trabalhadores.
Num caso e no outro, os respectivos presidentes - Hugo Chávez e Evo Morales - fizeram questão de anunciar medidas adequadas ao Dia.

Hugo Chávez escolheu o Dia do Trabalhador para anunciar a entrada em vigor do aumento de 15% do salário mínimo nacional - a juntar ao aumento de 10% já concretizado em Março passado.

Evo Morales, por seu lado, anunciou a nacionalização de importantes empresas de energia, sublinhando que, com estas nacionalizações, o Estado passa a «controlar mais de 80% da energia que se produz na Bolívia» - e acrescentou: «hoje estamos a recuperar a luz para todos os bolivianos».


É claro que se trata de dois regimes «totalitários» liderados por dois «ditadores» (ainda por cima «populistas») e onde não existem «liberdades» e onde os «direitos humanos» não são respeitados...
Nada que se compare, portanto, à maravilhosa «democracia» portuguesa e aos «democratas» que a regem - os quais asseguram todas as «liberdades» e todos os «direitos humanos» e que comemoram Maio anunciando «democráticos» aumentos de impostos, roubos de subsídios e a liquidação de direitos laborais.

E é aqui que vivemos.
Até darmos a volta a isto - coisa que pode começar a acontecer no dia 29...

12 comentários:

Maria disse...

... aproveitando a distracção das várias papas a que fomos sujeitos, assim como quem não quer a coisa... e lá pariu as 'medidas para salvar o país'...
O final deste post, o 29º dia deste mês, as tuas palavras, lembraram-me 'Assim foi temperado o aço'. Não sei porquê...

Um beijo grande.

Medronheiro disse...

É urgente envenenar o Sócrates.

poesianopopular disse...

São as contradições que muitos fingem não ver, mas que a outros não passam despercebidas, porque a realidade tal como o algodão não engana.
Dia 29 o formigueiro irá dar a resposta que as cigarras merecem.
Até lá!
Abraço

Antuã disse...

Só os ceguinhos é que não vêem e há milhões deles em Portugal.

Justine disse...

Vamos lá então começar a dar a volta a isto! Até dia 29:))

Nelson Ricardo disse...

Um dia os jornalistas hão-de esgotar todo o rol de mentiras de que dispõem por as terem usado tão repetitivamente. Vamos lutar para que chegue esse dia, a 29 de Maio.

Um Abraço.

samuel disse...

Será que os media vão reparar no dia 29?

Abraço.

smvasconcelos disse...

Que dia 29 seja o princípio do fim desta política criminosa..
beijo

tiagofigueiro disse...

Dia 29 estou lá

GR disse...

Já nem pedia tanto!
Já nem queria tanta nacionalização, liberdade ou aumentos.

Queria mesmo, era que o povo trabalhador saísse à rua dia 29 Maio!

Bjs,

GR

Graciete Rietsch disse...

Só hoje li este "post". Espero mesmo que o dia 29 seja o princípio do fim desta política malvada.

Um grande abraço.

Membro do Povo disse...

Neste nosso regime a liberdade é-nos dada como esmola. Felizmente vivemos em democracia!