CIRÚRGICA ALTERNÂNCIA

Imperdível a entrevista de Jerónimo de Sousa no Diário de Notícias de hoje.
Nela, o secretário-geral do PCP aborda frontalmente e com exemplar clareza as grandes questões da situação actual que lhe são colocada pelos dois entrevistadores (João Marcelino e Paulo Baldaia), e acrescenta outras que, a seu ver - e muito bem - exigem igual ponderação e reflexão.

No entanto - e sem surpresa - quer nas perguntas feitas quer no tratamento dado a algumas respostas, o DN não perde a oportunidade de exibir a sua condição de órgão da comunicação social dominante...

Aqui ficam dois exemplos.

A dada altura diz Jerónimo de Sousa: «Admito que o PSD, dando a mão (ao PS) para salvar esta política de direita, simultaneamente e com um grande tacticismo eleitoral, queira que o Partido Socialista vá cozendo em banho-maria, se vá desgastando, para se colocar como alternância»
O DN puxa esta resposta para título e, entre aspas, «resume» assim:
«O PSD quer que o PS vá cozendo em banho-maria para ser alternativa»
Como é óbvio, a substituição da palavra utilizada por Jerónimo de Sousa - «alternância»- pela palavra escolhida pelo DN (em título!) - «alternativa»- altera e deturpa a essência da afirmação do secretário-geral do PCP.


Noutro passo da entrevista, Jerónimo de Sousa recorda a intervenção de encerramento da Conferência Económica realizada pelo PCP em 1990 - intervenção feita «pelo meu camarada Álvaro Cunhal» e que pela sua «capacidade de previsão e de análise, vale a pena reler».
Muito acertada e profissionalmente, o DN cita e comenta essa intervenção de Álvaro Cunhal.
Fá-lo assim: «O histórico antigo líder dos comunistas foi sempre muito céptico face à adesão de Portugal à então CEE. Chegou a dizer que isso iria ajudar "a reconstituição e restauração dos grandes grupos monopolistas" e que sacrificava «os interesses nacionais aos interesses, decisões e imposições dos países mais ricos"».
Álvaro Cunhal «chegou a dizer»!!!: vejam bem, o que ele dizia!!!...
Como se o que ele «chegou a dizer» não estivesse totalmente confirmado pela realidade, hoje, após décadas de política de direita aplicada pelo PS e pelo PSD - em cirúrgica alternância disfarçada de fraudulenta alternativa.

7 comentários:

Maria disse...

Eles sabem bem que a política levada a cabo pelo ps e do psd é a mesma. Como sabem que é necessária uma política alternativa para mudar isto. O jogo que fazem com as palavras não nos é estranho...
E depois custa muito admitir que as análises que o Partido foi fazendo ao longo do tempo sobre a adesão à CEE estão mais que confirmadas. Na altura chamavam-nos 'os arautos da desgraça', ou coisa parecida...

Um beijo grande.

poesianopopular disse...

Estou de acordo com tudo o que a Maria disse,e ainda, o que mais me revolta,é que:eles tentam e conseguem com os seus trocadilhos, confundir o povo, e isto é cinismo jornalistico, é fazer o jogo do grande capital, é dividir para reinar - jornalismo,é outra coisa.
Abraço

joão l.henrique disse...

É verdade!Entre ps e psd/cds foi sempre a alternativa na continuidade.

Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Alternativa igual a alternância? Não é por não saberem português que eles o dizem. Eles lá têm as suas razões!!!!
Mas a confirmação do que dizia ÁLVARO CUNHAL é bem evidente.

Um beijo.

Anónimo disse...

em primeiro alternam... e depois sobem com o melhor cliente.
abraço camaradas.

samuel disse...

Uma espécie de rotativismo... e tal como então, sem "regeneradores" nem "progressistas"...

Abraço.

Fernando Samuel disse...

Maria: custa-lhes muito, de facto, a reconhecer o rigor das nossas análises...
Um beijo grande.

poesianopopular: há jornalismo e há manipulação...
Um abraço.

joão l.henrique ou seja, a alternância...
Um abraço.

Graciete Rietsch: eles, saber, sabem... só que não lhes convém...
Um beijo.

Anónimo: mais ou menos...
Um abraço.

samuel: há mais de cem anos...
Um abraço.