PRONTO!

«A greve geral que afinal não haverá»: eis o título do editorial do Público.
E o que é que leva o órgão central da Sonae a lavrar tal decreto?
Que razões sustentam a decisão anunciada pelo editorialista?

Vejamos:
Em primeiro - primeiríssimo - lugar: o dono do Público não gosta de greves - e muito menos de greves gerais - e se o dono não gosta, o Público também não gosta. Pronto.

Em segundo lugar: o Governo PS, o PSD e o CDS não gostam de greves - e muito menos de greves gerais - e já alertaram para os perigos da «instabilidade social» e do «agravamento dos problemas do país» que uma greve geral provocaria. Pronto.

Em terceiro lugar: a UGT não gosta de greves - e muito menos de greves gerais - e já «disse, como seria óbvio, que a hipótese não está sequer em cima da mesa». Ora, decide o Público, «sem a UGT nenhuma greve será geral». Pronto.


Entretanto, enquanto o editorialista do jornal da Sonae cumpre a tarefa de escrever o que deve escrever, a CGTP, do lado de lá dessa escrita, prepara a manifestação do próximo sábado.
Que vai ser, inevitavelmente, uma poderosa acção de massas e uma muito grande demonstração da força organizada dos trabalhadores.

Dos trabalhadores que, se e quando o entenderem, avançarão para a Greve Geral.
Seja qual for a decisão do Governo PS/PSD/CDS/Público/UGT.

Pronto!

17 comentários:

Ana Martins disse...

Nenhum deles gosta de greves, muito menos gerais e o governo até já veio apelar ao "empenho" dos trabalhadores para sairmos da crise. Vamos a ver e a crise afinal não é culpa do governo, nem do sistema capitalista com os seus privilegiados e respectivos lacaios. Não, a culpa é dos trabalhadores que em vez de se empenharem andam a brincar às greves. É preciso paciência!

Antuã disse...

Não há ninguém mais vampiro que o Belmiro.

smvasconcelos disse...

O que eles não sabem, e também não gostariam de saber, é "o povo é quem mais ordena!". E face ao retrocesso social só há um caminho para o travar: lutando!!!
beijo,

joão l.henrique disse...

Dia 29 lá estaremos todos para dizer a essa gente, basta.

Um abraço.

samuel disse...

Depois do verso do Antuã... dizer mais o quê?
Que o Azevedo está com medo? :-)))

Abraço.

GR disse...

Os trabalhadores não gostam do PS, PSD, CDS, UGT, Belmiros e quejandos.
O Público até vai bufar quando escrever no pasquim; “no passado sábado dia 29, participaram perto de 10 000 trabalhadores, mostrando uma foto com muito mais de 100 000 trabalhadores!” é uma questão de zeros!
“O Azevedo está com medo!”
Já temos uma nova palavra de ordem, grande Samuel.

Bjs,

GR

poesianopopular disse...

Só o dia 29, poderá dizer-nos, se vamos ou não para a greve geral!
Eu penso que vamos - a resposta aos ladrões não pode deixar dúvidas.
Abraço

Graciete Rietsch disse...

A greve é uma forma de luta muito importante. A decisão cabe aos sindicatos e aos trabalhadores, quer os senhores gostem ou não.
PRONTO!

Um beijo.

Manuel Rodrigues disse...

Greve geral, greves sectoriais, concentrações, manifestações, protestos, abaixo-assinados... o que lhes dói mesmo é que haja lutas (muitas lutas)organizadas e a pensar nas reclamações imediatas e, ao mesmo tempo, na reclamação de fundo: o fim da exploração. Uma exploração que, nos tempos que correm, atinge tais níveis que mais devia ser chamada de roubo (roubo colossal) um dos maiores (se não o maior) roubos da história da humanidade. Terão a resposta. A merecida resposta. A resposta que os ladrões (os verdadeiros ladrões) merecem.

Antcoe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Antcoe disse...

Eis que eu também estou de acordo com eles, também não gosto de greves. Penso até que ninguém gosta de greves. Mas se os trabalhadores as fazem é porque não estão contentes com a situação. Portanto aos ditos srs. está na vossa mão parar as greves, basta respeitarem aqueles que vos dão os lucros com que vocês engordam o saldo bancário. Por favor deixem de ser hipócritas.
Pois caso contrário irão levar com a luta dos trabalhadores. Desde já a primeira luta é já depois de amanhã em Lisboa. A Grande Manif no Marquês. Eu vou lá estar.
VIVA OS TRABALHADORES DE TODO O MUNDO
VIVA OS TRABALHADORES PORTUGUESES
VIVA A CGTP-IN
VIVA PORTUGAL LIVRE DE HIPÓCRITAS

Maria disse...

Sempre foi assim: SE e QUANDO os trabalhadores o entenderem.
E assim será!

E dia 29 não é um ensaio, é apenas um aviso. Para quem o queira entender...

Um beijo grande.

salvoconduto disse...

Até porque nestas coisas de greves nós consultamos sempre e previamente o Público. Prontos, estou esclarecido...

Aristides disse...

Essa do Publico fez-me lembrar um título do pasquim (que deus haja) O Tempo, cujo director era aquele amigo da Indonésia, João Rocha, se a memória não me atraiçoa. Nas vésperas de uma greve geral, já não sei em que ano( esta minha cabeça!) saiu esta pérola, no referido pasquim (mais palavra, menos palavra): "CGTP isolada- UGT e TSD não aderem à greve"
Antes como agora.
Abraço

Anónimo disse...

vai haver manif, vão acontecer greves, e a tensão irá subir. eles sabem-no, já se estão a preparar para isso.
abraço de um calceteiro.

Anónimo disse...

No dia 29 e sempre, vamos à luta!

Não somos os culpados da crise e, muito menos, os beneficiários dessa crise.

OUTRO RUMO! OUTRA POLÍTICA!

Fernando Samuel disse...

Ana Martins: muita paciência e muita luta.
Um beijo.

Antuã: rima e é verdade.
Um abraço.

smvasconcelos: lutar, lutar sempre...
Um beijo.

joão l.henrique: vamos fazer de 29 uma poderosa jornada de luta.
Um abraço.

samuel: também não está má...
Um abraço.

GR: algo me diz que vamos ser mais de 100 mil...
Um beijo.

poesianopopular; para já, uma grande manif. - depois, logo se verá...
Um abraço.

Graciete Rietsch: e eles saberão decidir.
Um beijo.

Manuel Rodrigues; aí está: é isso. Ainda bem que voltaste!
Um forte abraço.

Antcoe: vamos lá estar.
Obrigado pela visita e pelo comentário.
Um abraço.

Maria: um aviso que ser+a forte.
Um beijo grande.

salvo conduto: nem mais!...
Um braço.

Aristides: como eles se repetem!...
Um abraço.

Anónimo: um abraço.

Anónimo: lutar é o caminho!
Um abraço.