BUZINAR, É PRECISO!

Como o governo não se farta de repetir, os sacrifícios são para todos - tanto para os 25 mais ricos como para os 25 mais pobres...
O governamental raciocínio é simples, claro e irrefutável: se tudo aumenta, aumenta para todos: assim, para os 25 mais ricos, aumenta a riqueza e para os 25 mais pobres, aumenta a pobreza...

A governamental decisão de manter o pagamento de portagens na Ponte 25 de Abril durante o mês de Agosto, é um exemplo flagrante da distribuição equitativa dos sacrifícios: paga o pobre e paga o rico:
assim, se o Amorim passar na Ponte no seu bruto carrão, paga portagem - que é para saber o que são sacrifícios...;
se for eu a passar, no meu bruto carrinho, pago portagem - que é para saber que «a crise toca a todos!»...

E é nesta governamental noção de justiça que reside o segredo da longevidade da política de direita - a qual, ao longo de mais de 35 anos, praticada pelos partidos da troika indígena, vem aumentando, harmoniosa e democraticamente, a riqueza e a pobreza...


Quem não vai nesta cantiga - e ainda bem - é a Comissão de Utentes de Transportes da Margem Sul, que ontem veio apelar à luta contra as portagens na Ponte 25 de Abril - não apenas as portagens de Agosto mas as portagens durante todo o ano.
E para lutar contra portagens não há como o BUZINÃO...

Por isso, na próxima segunda-feira, durante todo o dia - e de forma mais forte e concentrada às 18 horas - buzinar, é preciso!

38 comentários:

Anónimo disse...

Aqui está o modelo "perfeito" de contestação contra as medidas dos governos capitalistas. Não surpreende que sejam tão anti-stalinistas estes sujeitos da "esquerda moderna". Basta ler alguns dos panfletos a exortar a luta dos trabalhadores escritos por Staline em 1905 e 1906 (www.marxists.org) e compará-los com este tipo medíocre de combate para se compreender a diferença que existe entre um gigante e um anão.

Anónimo disse...

Vá lá, então, o Soromenho da «Chispa!», com uma forquilha ou um chuço mostrar a essa gente das pontes como é a revolução «sua», a tal que não se confunde com o modelo C. da Silva e J. de Sousa.

Anónimo disse...

Reparo com agrado que o sr. anónimo das 13:16 está muito atento às considerações que faço sobre os srs ilustres C. da Silva e J.de Sousa seus admirados e indeclináveis defensores das classes trabalhdoras, apesar de me mimosear com atributos solenes de "maluquinho" masoquista" "enxovalho" e outros adjectivos de sublime elegância literária. Mas não se precipite; consulte o «site sugerido por mim» e veja a diferença.

A luta é o caminho! disse...

Não sou de Lisboa. estou a 300kms da capital, no entanto, estou solidário com esta e todas as outras lutas pela ruptura e mudança de que precisamos!

Só a luta é o caminho para travar o rumo de declínio que a política de direita pratica à 35 anos, seja com buzinões, manifestações, greves, debates, abaixo assinados, etc... todas as armas são válidas para combater este sistema opressor e explorador!

Pelo Socialismo e pelo Comunismo!

FORÇA CAMARADAS, A SERRA DA ESTRELA - SEIA, ESTÁ CONVOSCO!

Eduardo Miguel Pereira disse...

Já participei em vários buzinões. Penso que terei estado em todos, mesmo.
Lutando, reivindicando, e tentando que aquela injustiça conheça o seu fim.
A verdade é que até ao momento os resultados práticos dessas acções reveleram-se infrutíferos.

Esperava que o iluminado anónimo achispalhado me ilucidasse sob qual a melhor forma correcta de lutar nesta situação. Mas parece-me que não consegue responder, porque o mais próximo que há de ter estado dos buzinões, foi quando ligou a TV e viu, sentadinho no conforto do seu sofá, as imagens (trabalhadas, e que só revelam o que lhes dá jeito) dos buzinões que fizeram até hoje.

Pois fique o anónimo a saber, e já agora, todos os demais, que no toca a buzinões aqui o Eduardo é profissional, e portanto tomo a liberdade de sugerir que se acrescente ao buzinão o não pagamento da portagem, solicitem o talão aos portageiros, engarrafem o trânsito todo, e depois não paguem NUNCA nenhuma das passagens.
Eles que mandem para tribunal, que eu quero ver, 1º os serviços da Ponte a processarem centenas de milhares de pagamentos diários não efectuados, e depois quero ver os tribunais a darem despacho ao mesmo nº de casos diários de processos contra os infractores.

Se for para isso, contem comigo, se for só para fazer barulho e dar tempo de Antena aos "Aristides", então, digo-vos já, não vale a pena.

Justine disse...

O nojo que esta pulhice institucional me mete! Vamos lá prá rua, reagir ao saque!

Anónimo disse...

Ora aqui está uma notável descoberta que o comentador E.M.P., encontrou depois de concluír, «graças à experiência» que o "businão" não era suficiente para incomodar o governo. Por isso, já que me coloca no sofá refastelado, perante a TV, a assistir ao "espectáulo", pergunto ao comentador porque não remete essa "posição" para os organizadores dessa estrondosa luta?
Além das óptimas sugestões que faz, para dar mais organização e espírito de luta ao protesto, eu acrescento que se organizem junto das portagens piquetes de luta com propaganda apropriada a incentivar durante todo o dia esse protesto. Quanto ao pobre Aristides, claro, o melhor é mandá-lo plantar couves e batatas para a terra dele e que seja muito feliz nas suas macaquices políticas como tem sido até agora.
Em relação a mim peço-lhe que não se preocupe com a minha vida porque eu também não me preocupo com a sua!

Eduardo Miguel Pereira disse...

Eu posso não gostar do Aristides, mas esses comentários fascistoides de mandá-lo para a "terra dele" e catalogar as suas acções de "macaquices" revelam bem o calibre tanto da sua personalidade, como do seu "esquerdismo".
Com esquerdistas como você, nem precisávamos de ter tido um Hitler.

Aliás, você deve ter feito a sua escola de esquerda no mesmo sítio (ou lá próximo) onde fez o actual lider da UE, esse grande "revolucionário" !

Quanto ao protesto, espero então vê-lo lá, a organizar o tal piquete. Apareça homem, olhe que já vamos no enésimo buzinão e você tem perdido oportunidades, umas atrás das outras, para o fazer.
Vá, dê-me uma alegria, levante o rabinho do sofá, e desta vez apareça por lá.
Dou-lhe a minha palavra de honra que se o fizer, vou lá cumprimentá-lo.
Está lançado o desafio, ao qual, espero, responda com a mesma pujança com que comenta aqui neste espaço.

Anónimo disse...

Quanto à insinuação de fascistóide que faz a meu respeito, devo dizer que "ir para a terra de alguém" é um dito popular que não encerra nenhuma atitude xenófoba nem racista. E foi com esse espírito popular e não fascista que o pronunciei. Já o mesmo não posso dizer de si que no seu subconsciente racista interpretou imediatamente uma intenção que nunca me passaria pela cabeça. Lamento o seu processo de intenção que revela bem a sua mentalidade xenófoba e chauvinista de trazer por casa. Quanto às macaquices o critério foi o mesmo, não foi uma macaquice ele ter-se candidatado a Presidente da República? e se vc ou eu tivéssemos feito a mesma coisa, isso não teria sido também uma macaquice? Como vê é o seu subconsciente que está ainda prisioneiro de certos preconceitos que não lhe permitem encarar as afirmações de forma natural, sem intenções de baixo nível.
Em relação a mim, repito que não se preocupe comigo, porque eu também não me preocupo consigo.

Antuã disse...

Vamos buzinar até rebentar com os tímpanos dos anónimos pseudo-revolucionários.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Caro anónimo, o nível e o conteúdo da sua resposta dão por concluída esta (minha) breve tentativa de troca de opiniões.
É que perante um tão grande vazio de ideias e de argumentos, lamento informá-lo, mas eu não consigo (ainda) falar para o "nada" !

Vá, isto é 6ªfeira, e eu não quero que você fique nervoso para o fds. Fique lá descansado que eu não o desafio mais a aparecer e a fazer o que quer que seja, nem piquetes nem o diabo a quatro.

É que você põe-se aí nesse papel de papagaio incitador de massas, mas depois não faz a ponta dum corno, e quando o desafiam, é vê-lo tremelicar e desatar a refugiar-se em vazios argumentatórios.

Vá para dentro, deixe de fazer figuras tristes e não venha meter-se com aqueles que ainda tentam fazer alguma coisa deste país.

Anónimo disse...

Quando não se tem ideias para responder a ideias, usa-se o clché já gasto do "vazio de ideias do outro" e assim se arruma a questão. Eu coloquei alguns problemas que vc não respondeu. Os seus preconceitos encobertos em relação ao racismo, Vc não se pronunciou. É isto uma questão vazia no campo das ideias, ou será que vc não sabe o que é uma ideia?
O enorme Kant disse que «ideia é um conceito puro da razão ao qual não é dado nos sentidos nenhum fenómeno que lhe corresponda». Pergunto-lhe: Vc não percebe a frase pois não? Afinal quem é que está completamente vazio de ideias e tem o cérebro cheio de pequenas misérias?

Eduardo Miguel Pereira disse...

Olhe, só para acabar com isto, e porque em relação a racismos está para nascer quem me venha dar alguma lição de moral, só o que me oferece dizer-lhe é que, aqui, quem usou expressões racistas da pior espécie foi V.Exa.
E a verdade é que a coisa lhe saiu de forma natural e quando o confrontei com a infelicidade das suas delcarações o amigo usou, aí sim, um cliché, de imputar à minha pessoa preconceitos racistas através duma aferição mirabolante das suas palavras. Isso está gasto, já não pega.

Só perdi tempo, mais uma vez, a responder-lhe, porque nesta questão de racismos, não admito nem a mais leve suspeita à minha pessoa.

Quanto ao resto, só lhe digo uma coisa, faça-se homem (uma vez que seja na vida) e apareça na Ponte para o buzinão. Eu vou lá estar, e como tenho aqui a foto, você terá facilidade em reconhecer-me, porque eu nunca tive medo e dou a cara, e nome, já você ...

samuel disse...

Que seja ensurdecedor o buzinão!

Abraço.

samuel disse...

Hoje o super hiper maxi rifi revolucionário esteve desconcentrado. Deixar escapar essa do "ir para a terra dele" e das "macaquices"... e depois dizer que xenófobo e racista é quem lhe chama a atenção para o facto... é hilariante. :-)))
Transposto para o futebol, este super hiper maxi rifi revolucionário da treta é o tipo de "adepto" que, se o avançado guineense da sua equipa marcar golo... tem direito a nome e apelido (é quase uma pessoa); se falhar o golo é apenas "o cabrão do preto".
Claro que é tudo racismo na sua forma mais "natural e popular".
Grande imbecil!!!

joão l.henrique disse...

É buzinar,buzinar e buzinar, até o utente não pagar...

Um abraço.

Anónimo disse...

Imbecil e oportunista é sem dúvida o Samuel, porque não percebe que a expressão usada não teve nada a ver com qualquer intuito racista. Macaquices qualquer pessoa faz quando pratica em termos idiotas coisas despropositadas. Quanto a mandar alguém para a sua terra, é uma expressão popular que significa o mesmo que mandar alguém para a m..., para o c..., para a puta que o pariu. E é isso que o povo faz a qualquer oportunista do tipo do Samuel.

GR disse...

Que seja o maior buzinão feito até aos dias de hoje.

Bjs,

GR

Anónimo disse...

Anónimo das 20:41, ou Soromenho, da «Chispalhada», estou a ver que o anónimo é um caso quase igual ao «Caso 39». Já viu o filme? Então, toca a levantar o cú do sofá e busque o filme no video clube mais perto de si.
Vá ter à sua secção favorita, a do «Terror», situada num «enorme Kant(o)» da loja.
Já me disseram que a menina do filme é semelhante ao anónimo. É muito chatinha e perversa. Mete-se sempre onde não é chamada, assim como o Soromenho, ou anónimo, ou «Chipex!»

Maria disse...

Buzinar segunda-feira às 18.00, não importa o local onde estamos!

Um beijo grande.

Zé Canhão disse...

Porque é que este anónimo provocador não vai fazer ginástica nos cornos do pai?

svasconcelos disse...

Lutar, é preciso!

beijo,

Pata Negra disse...

Por este andar ainda acabam a reactivar as portagens sa pontes romanas! E se elas nos parecem ridículas! Tão ridículas como estas, as da Ponte 25 de Abril que, com estas portagens, mais nos parece a Ponte de Salazar.
Um abraço sem pontes

Khe Sanh disse...

Oh chispa se conseguires dizer-me qual o tipo de sociedade que pretendes e o modo de se lá chegar junto-me a ti. Não contes é comigo para aventuras tresloucadas. Sabes o que aconteceu à Rosa Vermelha? A pressa de fazer uma revolução onde não estavam criadas as condições, custou-lhe a vida a ela e a muitos camaradas seus, e essa "aventura" serviu ainda para abrir o ferrolho da porta para a progressão do Nazismo. É isso que aconselhas fazer aqui em Portugal na atual situação politica? Se é assim que pensas estás a fazer o jogo da burguesia.

E por favor não faças confusões com aquilo que o Koba conseguiu fazer, não sabes que a burguesia nesse tempo ainda vivia na idade da pedra na arte do controlo e da alienação das massas? Os meios eram outros e situação politico/social também era totalmente diferente.

Afinal quem consideras ser o inimigo dos trabalhadores?

Luís Maia disse...

Virá a propósito reflectir o que circularia por ai se o idiota da Noruega, incluísse Jerónimo na sua lista de amigos

Anónimo disse...

Businem, apitem, gritem, insultem e depois ide beber ums cevejolas com tremoços todos contentinhos. Estes sim, são os momentos de felicidade que pudeis mais tarde recordar. PARVALHÕES!

Bolota disse...

Moços,

Já agora por BUZINÃO, acreditam que a minha buzina está rofenha??? Tem apanhado cada escaldão que nem imaginam.
O ultimo foi na zona do Macario Correia esse grande anti-portagem antes, agora o seu maior defensor.

BUZINAR é preciso.

Khe Sanh disse...

Buzina-se onde for preciso. Na A22, na ponte, nas ruas, nas avenidas,e em todo o lado que a luta o exija, não o devemos fazer é isoladamente. Só as massas organizadas conseguem fazer frente aos interesses do capital.

Portanto compete a cada um de nós participar e levar outros a participarem também em todo o tipo de iniciativas que enfraqueçam a burguesia.

Graciete Rietsch disse...

E nós. no Porto também vamos protestar contra o aumento do transportes!!!
A minha soliariedade com o buzinão na Ponte 25 de Abril.

Um beijo.

samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samuel disse...

Anónimo (20:41):

"significa o mesmo que mandar alguém para a m..., para o c..., para a puta que o pariu. E é isso que o povo faz a qualquer oportunista do tipo do Samuel"


A sério??!!! Tem graça! Olhe que o que tenho visto é o povo fazer isso tudo, mas aos super hiper maxi rifi revolucionários como vossa mercê... mesmo aos que "se assumem", como o Durão Barroso & Cia. :-)))
Vá lá homem... assuma-se, sai do armário... vá-se inscrever no PPD (ou no PS)... se é que não foi já...:-)))

Anónimo disse...

BOA MALHA
Anónimo 23:36 faz um retrato perfeito daquilo que vcs são de facto.
Mais palavras para quê?

samuel disse...

Anínimo (11:33):

Olha... o mesmo anónimo solitário a ver se consegue parecer muitos... inventando apoiantes virtuais. :-)))

Pobre coitado!

Anónimo disse...

O Samuel mais uma vez faz uma das manobras habituais para lançar a confusão. Julga-se úbiquo e omnipresente como deus todo poderoso e faz a divisão dos anónimos pelo seu nímero, depois o resultado é igual a 1. Mas neste caso enganou-se porque eu não me multiplico por dois nem por 3. Eu sou indivisível, mas se calhar o Samuel é como o camaleão; multiplica-se vestindo camisolas de várias cores. Depois o pobre coitado sou eu. A desgraça intelectual às vezes é muito cómica.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Estes anónimos sofrem dum ... desvio colossal ... de inteligência !!!

samuel disse...

:-))) :-))) :-)))

Anónimo disse...

Muito gosta este anónimo das 15:14 (ou Soromenho, ou «Chispa») de vir ao «Cravo de Abril». Muito gosta, também, de levar, por tabela, de todo o lado. É um caso de autêntico «masoquismo nacional». O homem gosta de se meter na «boca do lobo» e «arre!» que não aprende.