ASSIM VAI A DEMOCRACIA DELES...

O 11 de Setembro de 2001 serviu, essencialmente, por um lado para «legalizar» as intervenções armadas dos EUA quando, onde e como os seus governos decidirem, invocando aquilo a que chamam o «combate ao terrorismo»; e serviu, por outro lado, para a criação das chamadas «leis anti-terrorismo» em todos os países com governos lacaios do imperialismo norte-americano - leis feitas à imagem e semelhança do famigerado «Patriot Act», e cujo objectivo principal é o de perseguir, prender, condenar, matar, se for caso disso, todos os cidadãos que, em qualquer parte do planeta, contestem ou combatam o imperialismo norte-americano.
Assim, o país que é o maior centro de terrorismo do mundo ficou «legalmente» mandatado para esmagar os que, seja onde for, se lhe opõem, e mandatou os governos seus lacaios para o coadjuvarem na tarefa...

Vem tudo isto a propósito da prisão, julgamento e condenação pelo Tribunal de Copenhaga, de dois cidadãos dinamarqueses: Anton Nielsen e Viggo Toft-Joergensen.
Ambos activistas da luta antifascista e pelas liberdades democráticas, o primeiro é presidente de uma associação que reúne antigos presos políticos sob a ocupação nazi, bem como seus familiares e descendentes - a Associação Horseroed-Stutthof, nome de um célebre campo de concentração nazi onde, em 22 de Junho de 1941, os ocupantes encerraram centenas de dinamarqueses, a maioria dos quais viriam a ser assassinados; o segundo, é dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil.

Um, dirigente de uma associação antifascista; o outro, dirigente sindical: está-se mesmo a ver que, de acordo com os critérios made in USA, só podem ser... «terroristas».
Acresce que ambos cometeram o grave crime de, solidariamente, terem procedido a uma recolha de fundos destinados à FPLP (Frente Popular de Libertação da Palestina) - o equivalente a 2372 euros - e às FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) - o equivalente a 1340 euros...

No julgamento, os dois réus afirmaram que tanto a FPLP como as FARC «não são organizações terroristas», e que consideram a acção de solidariedade que levaram a cabo como «um dever moral».
Para além disso, Anton Nielsen, lembrou que também Nelson Mandela foi acusado de terrorista e que o seu nome só foi retirado da lista de terrorismo dos EUA em 2008, sublinhando ainda que os inspiradores da Associação de que é presidente, também foram acusados de terroristas e, por isso, muitos deles foram exterminados pelos nazis no campo de concentração de Stutthof...

Por seu lado, Viggo Toft-Joergensen dirigiu-se aos juízes nestes termos: «Demos dinheiro a um sindicalista colombiano que foi obrigado a passar à clandestinidade após receber ameaças de morte. Depois aderiu às FARC e compreendo-o perfeitamente. Na Colômbia, os terroristas estão no governo, não nas FARC».

Ao abrigo da «lei anti-terrorismo» que, a mando dos EUA, foi adoptada na Dinamarca, fora ambos condenados a seis meses de prisão.

Assim vai a democracia deles...

15 comentários:

Anónimo disse...

A democracia deles? E esta que é também a vossa democracia, como vai?
Até o basbaque J. Sousa se insurge contra os protestos indignados e justos de um conjunto de cidadãos que no Algarve tiveram a "ousadia" de vaiar o lacaio e sócio dos agiotas e rentistas, J. Sócrates. Isto para não mencionar C. Silva que é um vómito na história do sindicalismo português.

Anónimo disse...

Anónimo (17:21):

Ó pobre miserável, o cão que o defecou... anda à sua procura para o tapar! :-)))

samuel disse...

A extrema direita dinamarquesa, agora reforçada no poder... tem que mostrar serviço.

Abraço.

joão l.henrique disse...

É assim a consciência politica e social da direita quando tem oportunidade para se revelar.

Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Pena é que andem para aí terroristas à solta a atacar os verdadeiros anti terroristas.

Um beijo.

Maria disse...

Eles 'andem' aí e já não disfarçam...

Um beijo grande.

Anónimo das 17:31
Gostei do seu comentário :)))

Antuã disse...

Os nazis andam à solta e trazem até aqui os seus agentes com linguagem revolucionária.

GR disse...

Eles andam à solta, cada um é terrorista à sua maneira.
""""""""""
O Blogger tornou-se uma fonte de troca de ideias vai daí:

"A Google vai mudar as marcas de vários dos seus serviços mais populares, como o Blogger e o Picasa, para facilitar a respetiva integração no Google+. O YouTube fica como está."

BJS,

GR

Anónimo disse...

O anónimo das 17:21 (se fosse inteligente) tinha mencionado o Sr. Rasmussen, mas a única coisa que cospe é «C. Silva» e «J. de Sousa».
Se o Fernando Samuel escrever um texto acerca da guerra no Afeganistão ou sobre o cerco a Gaza por Israel, este maluco ditará as culpas a Carvalho da Silva e Jerónimo de Sousa.
Haja paciência!

Anónimo disse...

Devo dizer que a resistência afegã e a do hamas,felizmente, não conhecem de lado nenhum nem J. de Sousa, nem C.da Silva.

Anónimo disse...

Oh! Eu não disse?
Haja paciência!

Eduardo Miguel Pereira disse...

Fernando, não precisas de ir à Dinamarca para assistir a presseguições a sindicalistas.
Por cá, há quem na banca veja imediatamente cortado parte do vencimento por aderir à vida sindical ... isto claro está, se for um sindicato afecto à CGTP !

Fernando Samuel disse...

samuel: mas é mais ou menos o mesmo serviço que mostram a direita não extrema e a auto-denominada esquerda em vários outros países...

Um abraço.

Fernando Samuel disse...

joão l.henrique: e nos tempos que correm, oportunidades não lhes faltam...
Um abraço.

Graciete Ristsch: é a lei da vida ao contrário...
Um beijo.

Maria: sentem-se impunes - mas talvez se lixem...
Um beijo grande.

Antuã: de facto, eles andam por aí...
Um abraço.

GR: são os terroristas mascarados de anti-terroristas...
Um beijo.


Eduardo Miguel Pereira: exactamente: daí o meu comentário ao comentário do Samuel.
Um abraço.

Anónimo disse...

o que o 25ABRcriou! A pedra digo jeronimo,carvaklho da silva, o rapaz dos sindicato dos professores, proenca da UGt e agora um rapazinho dos policias que todos os dias aparece na xamada imprensa ou emprenxa. o analfabetuuuu