POEMA

POEMA DA MANHÃ CLARA


O grito das sirenes
rasgou o silêncio da manhã clara...
E foi como se a vida acordasse
na cidade adormecida:
as ruas encheram-se de movimento,
o céu encheu-se de asas
e o rio de velas!

As ruas encheram-se de movimento,
do vai-vem dos que vão para as oficinas,
dos pregões cantados nas esquinas,
do estrépito dos motores...
E nas fábricas,
as máquinas,
monstros de potências adormecidas,
foram arrancadas à sua inércia,
que se desmancha num espreguiçamento,
e se desfaz, depois,
no ritmo acelerado dos volantes.

O céu encheu-se de asas
e o rio de velas...
Nos portos,
atracam os navios vindos de longe,
de todos os horizontes,
entre os guinchos das roldanas
e a vozearia das tripulações à manobra;
e os guindastes giram lentamente
- gigantes de braços de aço
levam e trazem
com ar despreocupado,
os fardos mais pesados
aos porões;
os vapores de hélices potentes
deixam lentamente os cais,
e, manchando o céu
com o fumo pesado das chaminés,
perdem-se no nevoeiro da barra...

O grito das sirenes
rasgou o silêncio da manhã clara...
um ritmo novo
acordou a cidade adormecida.
Ritmo que se grita
nas alavancas que se movem,
nos êmbolos que chocam,
nos martelos que retinem;
ritmo mecânico, compassado,
das hélices dos motores;
ritmo vertiginoso, alucinante,
dominante, dos volantes;
ritmo novo dos corações,
na canção ardente do trabalho!
Ritmo de máquinas,
de alavancas e de braços.
- - Ritmo novo da manhã clara!


Joaquim Namorado

(«Arquitectura»)

8 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Vou deixar aqui um excerto de uma entrevista a ROMEU CORREIA onde se aborda JOAQUIM NAMORADO.

"Pois o Namorado, durante alguns números, publicou pensamentos do Karl Marx mas assinados com o pseudónimo Carlos Marques. E um dia aparece na redacção um agente da PIDE a intimidar: “ó Senhor Doutor Joaquim Namorado, avise o Carlos Marques para ter cuidadinho, que nós já estamos de olho nele". "

Um abraço grande.

samuel disse...

E no meio de toda esta actividade fervente... nem um mistério, nem um milagre, nem uma aparição...
Tudo à força do braço e da inteligência!

Abraço.

smvasconcelos disse...

Que venham muitas manhãs como esta.
beijo,

Maria disse...

E este o ritmo das manhãs claras do nosso Futuro!

Um beijo grande.

Graciete Rietsch disse...

Só mais um pequeno comentário.E a manhã clara chegou. Mas os abutres encarregam-se de adevorar.
Um beijo.

Nelson Ricardo disse...

E percebe-se que na base de todo esse buliço da civilização está o trabalhador.

A manhã é dele, porque é ele que a faz.

smvasconcelos disse...

Parabéns ao Cravo de Abril! É hoje, não é?!o aniversário do blogue...
:)))))))))))))
beijo

Fernando Samuel disse...

Graciete Rietsch: outro dos que a PIDE «vigiava» era um tal «José Salinas»...
um beijo.

samuel: homens apenas...
Um abraço.

smvasconcelos: até que tudo seja MANHÃ CLARA.
Um beijo.

Marai: e lá chegaremos, mais tarde ou mais cedo...
Um beijo grande.

Graciete Rietsch: mas nós recuperá-la-emos...
Um beijo.

Nelson Ricardo: mais precisamente o operário (a sua classe).
Um abraço.

smvasconcelos: é mesmo no dia 25.
De qualquer maneira, OBRIGADO.