COLOSSAL EMBUSTE

Volto à reportagem da Revista NS de ontem.
Desta vez para aqui deixar registo de dados divulgados sobre algumas das consequências, para os EUA, da invasão e ocupação do Iraque:

- mais de 4200 militares mortos (média de mais de 30 por mês):
- mais de 65 000 feridos com gravidade;
- cerca de 30 mil mutilados;
- cerca de 300 mil veteranos que sofrem de stress pós-traumático;
- cerca de 18 veteranos de guerra suicidam-se todos os dias - sendo este «o sintoma mais trágico de um problema que acarreta também casos de depressão, dificuldades conjugais, violência doméstica, e ex-militares sem abrigo que vivem nas ruas».

Isto no país ocupante, onde os senhores da guerra - que «enviam trabalhadores pobres do seu país contra trabalhadores pobres de outros países» - dormem tranquilos, saciados de sangue e de dólares.


Quanto ao país ocupado, os números são outros: milhões de civis - homens, mulheres e crianças - mortos, feridos com gravidade, mutilados...enfim, a destruição, o crime, a barbárie, o horror.

Tudo isto feito em nome da liberdade, da democracia e dos direitos humanos...
Tudo isto a confirmar que estamos perante um colossal embuste - o mais criminoso, o mais sinistro, o mais hipócrita, o mais perverso, o mais sádico embuste da história.

8 comentários:

smvasconcelos disse...

... em nome da ganância, do petróleo... E andam por aí, impunes, a dormir tranquilamente, sem consciência...
beijo.

samuel disse...

Embuste de que os criminosos principais se orgulham publicamente, dizendo que voltariam a fazer exactamente o mesmo.

Abraço.

Maria disse...

Os responsáveis deviam ser julgados, com muito mais razão, pelo tribunal internacional de Haia. E condenados, com muito mais razão. E... o resto.
É uma corja de criminosos!

Um beijo grande.

Graciete Rietsch disse...

E ofereceram os Franceses das Luzes a ESTÁTUA DA LIBERDADE à América. Horríveis criminosos são os seus governantes e todos os que os apoiam, americanos ou não.

Um beijo.

CRN disse...

Não obstante, continua a ser tarefa árdua estabelecer, ou demonstrar, a muitos, o paralelismo entre o regíme nazi e a actual realidade. A demagogia, o poder da informação, o imperialismo de facto, continuam a cumprir os seus objectivos, evitar a mobilização (cada dia com maior dificuldade).

Um abraço!

CRN disse...

Não obstante, continua a ser tarefa árdua estabelecer, ou demonstrar, a muitos, o paralelismo entre o regíme nazi e a actual realidade. A demagogia, o poder da informação, o imperialismo de facto, continuam a cumprir os seus objectivos: evitar a mobilização (cada dia com maior dificuldade).

Um abraço!

Anónimo disse...

Cinicamente, há quem os designe por «danos colaterais».

Fernando Samuel disse...

smvasconcelos: até um dia...
Um beijo.

samuel: como compete a criminosos conscientes...
Um abraço.

Maria: os responsáveis são... uma corja...
Um beijo grande.

Graciete Rietsch: são assim os que vivam da guerra...

CRN: apesar disso, a mobilização cresce...
Um abraço.

Anónimo: é a hipocrisia em cheio.
Um abraço.