POEMA

PROMETEU


Abafai meus gritos com mordaças,
maior será a minha ânsia de gritá-los!

Amarrai meus pulsos com grilhões,
maior será minha ânsia de quebrá-los!

Rasgai a minha carne!
Triturai os meus ossos!

O meu sangue será a minha bandeira
e meus ossos o cimento duma outra humanidade.

Que aqui ninguém se entrega
- isto é vencer ou morrer -
é na vida que se perde
que há mais ânsia de viver!


Joaquim Namorado

(«A Guerra e a Paz»)

8 comentários:

smvasconcelos disse...

Os poemas de Namorado são de um vigor, de um grito imenso!... É a imagem dos grandes lutadores: não se rendem, não desistem, sofrem estoicamente, debatem-se, e morrem se for preciso. Estou a gostar do Namorado...:))
beijo,

Graciete Rietsch disse...

Tantos e tantos retratados neste fantástico poema. Lutar por um ideal até à morte, se for preciso, e nunca desertar.
E agora a hora é de luta e confiança e Joaquim Namorado transmite-nos a força necessária.

BEIJOS

Maria disse...

"Que aqui ninguém se entrega"
é um grito enorme!
É o grito que devemos dar todos os dias!

Um beijo grande.

MR disse...

Expressão de uma realidade crua e da atitude a considerar perante...
Nunca mais!

Nelson Ricardo disse...

Excelente poema!

De uma força que só consegue ser arrancada dos espíritos que se indignam a cada injustiça.

samuel disse...

...e cada braço uma alavanca.

Abraço.

Justine disse...

Grito violento e belo!

Fernando Samuel disse...

smvasconcelos: ainda bem que gostas.
Um beijo.

Graciete Rietsch: a postura do Poeta é actual...
Um beijo.

Maria: resistir sempre.
Um beijo grande.

MR: nunca mais, pois claro...
Um abraço.

Nelson Ricardo: e que lutam contra a injustiça...
Um abraço.

samuel: é nesse espírito...
Um abraço.

Justine: a coragem de... gritar.
Um beijo.