POEMA

CANTAR DE AMIGO


Eu e tu: milhões!...
Entre nós - perto ou longe -
entre nós, rios e mares,
montanhas e cordilheiras...

Eu e tu, perdidos
nesta distância sem fim do desconhecido;
eu e tu, unidos
para além das cordilheiras,
por sobre mares de diferença,
na comunhão de nossos destinos confundidos
- a minha e a tua vida
correndo para a confluência
num mesmo Norte.

Eu e tu, amassados
nesta angústia que é de nós,
minha e tua,
e mais do que de nós...
Eu e tu,
carne do mesmo corpo,
amor do mesmo amor,
sangue do mesmo sacrifício!...

Eu e tu,
elos da mesma cadeia,
grãos da mesma seara,
pedras da mesma muralha!...
Eu e tu, que não sei quem és,
que não sabes quem sou:
Eu e tu, Amigo! Milhões!


Joaquim Namorado

(«A Guerra e a Paz»)

8 comentários:

Maria disse...

Cheguei do Coliseu. Com a emoção à flor da pele. Com a poesia de Ary na cabeça. Leio este poema e acho que ele encaixa perfeitamente na 'linha' que hoje me inunda. Tão belo. Tão forte. Tão firme!

Um beijo grande.

smvasconcelos disse...

"eu, tu, nós, milhões"... na corrente do mesmo Ideal.
Muito bonito.
beijo.

Fernando Samuel disse...

Maria: podes ter a certeza de que «encaixa»...
Um beijo grande.

smvasconcelos:... em todo o mundo...
Um beijo.

samuel disse...

Milhões que têm que se conhecer e encontrar... para assumirem a força que possuem.

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

Comentário? Não consigo. Emocionante.

Fernando Samuel disse...

samuel: quando isso acontecer...
Um abraço.

Graciete Rietsch: um beijo.

Nelson Ricardo disse...

Milhões, iguais na convicção, na dignidade, nos direitos e na vontade de verdadeira liberdade.

Fernando Samuel disse...

Nelson Ricardo: milhões a construir o mundo novo...
Um abraço.