POEMA

AVISO À NAVEGAÇÃO


Alto lá!
Aviso à navegação!
Eu não morri:
Estou aqui
na ilha sem nome,
sem latitude nem longitude,
perdida nos mapas,
perdida no mar Tenebroso!

Sim, eu,
o perigo para a navegação!,
o dos saques e das abordagens,
o capitão da fragata
cem vezes torpedeada,
cem vezes afundada,
mas sempre ressuscitada!

Eu que aportei
com os porões inundados,
as torres desmoronadas,
os mastros e os lemes quebrados
- mas aportei!

E não espereis de mim a paz...

Aviso à navegação:
Não espereis de mim a paz!

Que quanto mais me afundo
maior é a minha ânsia de salvar-me!
Que quanto mais um golpe me decepa
maior é a minha força de lutar!

Não espereis de mim a Paz!

Que na guerra
só conheço dois destinos:
ou vencer - ai dos vencidos! -
ou morrer sob os escombros
da luta que alevantei!

- (foi jeito que me ficou:
não me sei desinteressar
do jogo que me jogar.)

Não espereis de mim a paz,
aviso à navegação!

Não espereis de mim a paz
que vos não sei perdoar!


Joaquim Namorado

(«Aviso à Navegação»)

9 comentários:

Maria disse...

Começas muito bem com o ciclo do Joaquim Namorado.
A guerra é a guerra!
Porque chega o dia em que já não podemos perdoar.

Um beijo grande

samuel disse...

A hora chegará. Não podemos perder este poema de vista...

Abraço.

smvasconcelos disse...

Fantástico, este poema! Um ode à LUTA!Porque "não morremos".
beijo,

Graciete Rietsch disse...

Este é um dos poemas de Joaquim Namorado de que eu mais gosto.
Nós bem sabemos no que resulta perdoar. Sejamos justos, não perdoemos.

Um grande abraço.

MR disse...

(foi jeito que me ficou:
não me sei desinteressar
do jogo que me jogar.)


sim, «eu sou» o objecto do jogo, a bola acossada, o alvo da caça.

Mas este sujeito é plural. Um plural manipulado, dividido, emigrado,desvalorizado, mas imenso plural.

Belo poema

Justine disse...

Belíssimo, como uma palavra de ordem! Venha mais do J Namorado:))

alex campos disse...

O "velho", como, com humilde e com ternura, o chamávamos, na redacção do semanário Barca Nova, na Figueira da Foz. Para nós jovens, era uma delícia discutir com ele.
Obrigado pela recordação.

Um abraço

Fernando Samuel disse...

Maria: «maior é a minha força de lutar»...
Um beijo grande.

samuel: temos que vivê-lo...
Um abraço.

smvasconcelos: lutar, sejam quais forem as circunstâncias.
Um beijo.

Graciete Rietsch: lutemos sempre...
Um beijo.

MR: um imenso plural, de facto...
Um abraço.

Justine: uma orientação...
Um beijo.

alex campos: e obrigado pela memória...
Um abraço.

Anónimo disse...

vive la revolution!
abraço do vale