A PERSONIFICAÇÃO DA IMORALIDADE

Luis Figo vai ficar de fora da investigação sobre o tal negócio dos 750 mil euros, com os quais foi pago a troco de expressar publicamente o seu apoio eleitoral ao PS/Sócrates.

E por que é que o Figo fica de fora da investigação?
Porque, dizem os juízes, Figo ignorava que a Taguspark era uma empresa pública.
Assim, ao velho ditado que nos diz que «o segredo é a alma do negócio», devemos acrescentar, agora: «e a ignorância também»...

Esperemos, agora, que os mesmos juízes que absolveram o vendedor, castiguem severamente o comprador - que sabia o que a Taguspark é.
A não ser que o comprador tenha um daqueles lapsos de memória típicos nestas circunstâncias - o tão recorrente «não me lembro»- e tudo fique em águas de bacalhau.
Se assim for, teremos o já tradicional fim feliz , com um absolvido por não saber, e o outro absolvido por não se lembrar...

O que jamais irá a julgamento - e tem absolvição prévia garantida - é esta prática de compra e venda de apoios eleitorais, tão característica da «democracia» dominante.
Prática imoral?
Sim - mas não mais do que a «democracia» que dela se alimenta e que é a personificação da imoralidade.

7 comentários:

Nelson Ricardo disse...

A desfaçatez com que chamam a isso de "democracia" é a mesma "desfaçatez" que nos brinda todos os dias uma justiça podre e corrupta.

filipe disse...

Ao preço a que o bacalhau subiu, já nem nos é fácil remolhá-lo nas ditas...
Ficam-nos, então, estas águas paradas, podres e fétidas, a reclamarem urgente e vigorosa acção patriótica de saneamento.
Abraço.

Antuã disse...

Justiça e democra-cia!

Maria disse...

Tanto quanto sei, o facto de desconhecermos uma lei, por exemplo, não justifica que não tenhamos que a cumprir ou responder em Tribunal se a infringirmos. Não será este princípio aplicável à ignorância do Figo?

Um beijo grande, de Maio cheio.

samuel disse...

Está tudo à venda...

"Estes são os meus principios!... mas se não vos agradarem, posso arranjar outros...", dizia o Groucho Marx, só que esse tinha graça...

Abraço.

joão l.henrique disse...

O quadro tipico da (in)justiça da nossa democracia.

Um abraço.

Fernando Samuel disse...

Nelson Ricardo: nem mais.
Um abraço.

filipe: a necessária e urgente limpeza geral...
Um abraço.

Antuã: ou justi- cia...
Um abraço.

Maria: já viste o que era se o desconhecimento da lei permitisse fazer a cada um o que quisesse?...
Um beijo grande.
(de Maio, é claro)

samuel: o Grouxo topava-os...
Um abraço.

joão l.henrique: é assim que ela funciona.
Um abraço.