PRAGMATISMO...

Notável, o pragmatismo que presidiu à solução do (aparentemente) complexo problema das eleições presidenciais no Afeganistão.

A primeira volta das ditas, realizada em Agosto, ficou marcada por uma FRAUDE de todo o tamanho - e tão FLAGRANTE que até o Governo dos EUA ficou sem condições para a defender.
Na altura, chegou a ser anunciada a vitória de Karzai, o grande organizador da fraude, com mais de 50% dos votos, mas também essa manobra, de tão escandalosa e obscena, não teve pés para andar.
Assim, houve que recorrer a uma segunda volta com os dois candidatos mais votados: Karzai e Abdulah.

Há dias, Abdulah anunciou a sua desistência pelo facto de, em matéria de fraudes, se manter a situação existente quando da primeira volta.
Esta desistência caíu como sopa no mel dos planos dos ocupantes que logo começaram a opinar sobre o que deveria ser feito - e a denominada comissão eleitoral independente assim fez: anulou as eleições e proclamou Karzai «presidente eleito» do Afeganistão.

Tudo isto a confirmar que o crime compensa e que a fraude é o caminho mais curto para se ser «eleito» presidente num país ocupado pelos EUA.
Por isso o Governo de Obama felicitou Karzai pela «vitória nesta eleição histórica»...

Tudo nos conformes, como se vê - e tudo desnudando o conceito de democracia em vigor em todo o lado onde os EUA, pela força das armas, estão instalados.

8 comentários:

samuel disse...

Mais uma prova que o modelo de "mudanças", de Obama, é a mesma sucata que o modelo "automático" de bush.

Abraço.

Sal disse...

Obama.. não engana!
bj

Anónimo disse...

A "vitória" é histórica porque a História registará a vigarice.
Mais uma...
Rui Silva

Antuã disse...

Muito lindo, sim senhor, obama mereceu mesmo o prémio Nobel da Guerra.

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

E as pessoas não vêem? Porquê? Abraços.

poesianopopular disse...

Para os que pensaram que Obama merecia o benefício da dúvida, -eis a resposta! Ou -qual terá sido o preço que Obama pagou, pela desistência de Abdulah?
Daquela bandas tudo se espera, -até o Nobel da Paz!
Abraço

Fernando Samuel disse...

samuel: em tudo o que é essencial, o modelo é o mesmo...
Um abraço.

Obama: e quase que rima...
Um beijo.

Rui Silva: ... a juntar a tantas, tantas outras...
Um abraço.

Antuã: está a merecê-lo todos os dias...
Um abraço.

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes: vêem o que lhes mostram todos os dias os jornais, as rádios, as têvês...
Um beijo.

poesianopopular: sim, vindo de quem vem tudo (de mau) pode acontecer...
Um abraço.

Ana Camarra disse...

Pois são as grandes mudanças proclamadas por esse arauto da Liberdade, galardoado pelos seus esforços históricos pela Paz e pela Humanidade.

Só mudou o tom.