Homenagem ao poeta da Revolução «Ary Sempre!»

Passados 25 anos sobre o seu desaparecimento, o PCP vai promover, no dia 4 de Dezembro, pelas 21h30, no Coliseu, em Lisboa, o espectáculo «Ary Sempre!», de homenagem a José Carlos Ary dos Santos (1937-1984), poeta português e militante comunista.

Este grande momento musical terá um preço único de 20 euros, sem lugares marcados, e conta com a participação de
Carlos do Carmo, que interpretará poemas de Ary dos Santos, do pianista Bernardo Sassetti e dos músicos Ricardo Rocha (guitarra portuguesa), Carlos Manuel Proença (viola) e Fernando Araújo (baixo).

9 comentários:

poesianopopular disse...

João!
A partir de quando e onde se podem adquirir os bilhetes?
Abraço grande e beijocas para a joana e Ana!
Será que o coliseu vai chegar?

Maria disse...

Lá estaremos...

Beijos aos 3

amigona avó e a neta princesa disse...

Eu quero lá estar mas ainda tenho que engolir uma "coisita"!
Um abraço...

Talina disse...

Claro que lá estarei com muito gosto , obrigado pela informação

Abraço

Talina

smvasconcelos disse...

Reforço os comentários: que maravilha!, conto lá estar. Onde é que se reservam/compram os bilhetes?
obrigada.

Manuel Rodrigues disse...

Grande Ary, que associou sempre o engenho e a arte de extraordinário poeta à beleza revolucionária da transformação do mundo.
Um HOMEM vertical, que nunca trocou o ideal comunista pelas migalhas ou prebendas da ordem burguesa (ainda) dominante.
Um COMUNISTA que habita os nossos combates e que marcha connosco com a força de uma mensagem sempre viva. Uma mensagem mil vezes mais forte do que a de muitos que, ainda vivos, há muito deixaram emudecer os seus ideais.
Que honra, sentir um camarada destes ao nosso lado!

GR disse...

Como gostaria de poder estar mais próximo de Ary e de todos os seus amigos.
Um grande bj par ti, J e para a doce Pioneira.

GR

Anónimo disse...

todos gostávamos era que carlos do carmo fosse um comunista como ary era...

Fernando Samuel disse...

Lá estaremos!
Abraço grande, João.

Os bilhetes podem ser adquiridos no CT Vitória (213 307 000); no CT Edifício Arrábida (265 521 180); no serviço tickline; na ABEP e no Coliseu.

(Para o anónimo: Carlos do Carmo não é - nem nunca foi - militante do PCP)