IGUALDADE DE OPORTUNIDADES

Há um ano, o sistema financeiro norte-americano entrou em colapso: sucederam-as as falências de bancos e o pânico espalhou-se no capital financeiro do país e do mundo.
O Governo - na sua função de conselho de administração dos interesses do grande capital - safou esses bancos da falência, utilizando para isso dinheiros públicos: milhares e milhares de milhões de dólares, portanto à custa de enormes sacrifícios da imensa maioria dos norte-americanos.

Um ano depois, esses bancos salvos pelo Governo apresentam lucros fabulosos - e preparam-se para distribuir prémios fabulosos aos seus quadros superiores.
É assim que os três maiores desses bancos - insisto: safos há um ano com dinheiros públicos - vão distribuir em prémios a maior verba alguma vez utilizada com este objectivo: nada mais nada menos do que cerca de 30 mil milhões de dólares.

Mais ano menos ano, estes mesmos bancos voltarão a falir, o Governo voltará a safá-los recorrendo aos dinheiros públicos, à custa da maioria dos norte-americanos - e assim acontecerá enquanto o capitalismo dominar.

Tudo isto a mostrar-nos por que é que os EUA são conhecidos como o país da igualdade de oportunidades...

6 comentários:

samuel disse...

E sempre com o mesmo "argumento"... só vão mudando os actores. Uma espécie de "A ratoeira"... mas em cena há muito mais tempo.

Abraço.

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

E Portugal lá vai seguindo, alegre e feliz, o seu "amigo americano". Um beijo.

Maria disse...

Enquanto 'colar', é o que irão fazer. Entretanto nós, por cá, tudo bem...

Um beijo grande

Fernando Samuel disse...

samuel: e, pelos vistos, está para durar...
Um abraço.

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes: como um cãozinho fiel...
Um beijo.

Maria: a imitá-los...
Um beijo grande.

Ana Camarra disse...

Uns tem a igualdade de pagar e outros as oportunidades...

Fernando Samuel disse...

Ana Camarra: é uma igualdade muito desigual...

Um beijo.