PALAVRAS PARA QUÊ?

Dizem os jornais que Mário Soares recusou pronunciar-se sobre o candidato que apoiará nas eleições presidenciais.
Fê-lo, certamente, naquele tom categórico e definitivo que lhe é habitual, género: não digo nada sobre o assunto, nem uma palavra, assunto arrumado...
Também como é seu hábito, de imediato começou a pronunciar-se sobre o que jurara não se pronunciar- sempre recusando pronunciar-se, obviamente...

«O mais importante num político é o respeito pelos outros»: começou por dizer, qual Frei Tomás...
E como, por acaso, tinha ali mesmo ao seu lado um candidato às presidenciais, Soares - sempre recusando pronunciar-se sobre o candidato que apoiará... - proclamou: «Fernando Nobre dedicou toda a vida aos outros sem pedir nada em troca».
Depois, e ainda continuando a recusar pronunciar-se sobre o candidato que apoiará, acrescentou que o exemplo de «respeito pelos outros» dado por Fernando Nobre «não tem paralelo».

A terminar, Soares, categórico e definitivo, como é seu hábito, recusou pronunciar-se sobre o candidato que apoiará nas eleições presidenciais...


Palavras para quê?: é um homem de palavra em acção...

7 comentários:

Maria disse...

Porque será que, apesae de dizer que não vai revelar o candidato que vai apoiar, eu tenho a sensação de que o apoio dele vai exactamente o homem que ele referiu, sem referir?
Afinal a língua portuguesa é muito transparente...

Um beijo grande.

joão l.henrique disse...

MS,confirmou (não confirmando), aquilo que para muitos é mais que óbvio, no que diz respeito, quem vai ou não apoiar.

Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Vingançazinha pessoal é o que é.
Mas Mário Soares é perito em disfarçatez.

Um beijo.

samuel disse...

É o seu "carácter"...

Abraço.

smvasconcelos disse...

Tudo óbvio. (É tão mesquinho, o homem, n é?)
beijo

Antuã disse...

O homenzinho sempre foi assim.

Nelson Ricardo disse...

E não estaria Portugal melhor se Mário Soares se tivesse dedicado à pesca em vez de atazanar a vida aos portugueses?