O NECESSÁRIO PONTAPÉ

Dois apontamentos sobre o dia de ontem:


1 - A Espanha viveu ontem um dia memorável.
Não me refiro ao facto de a sua selecção de futebol ter vencido e eliminado a selecção portuguesa no jogo realizado na Cidade do Cabo.
Refiro-me, sim, a um acontecimento muito mais relevante do que esse e que é o seguinte: o Metro de Madrid esteve parado, completamente parado!, durante todo o dia, por efeito de uma greve de protesto contra as medidas anti-laborais e anti-sociais do Governo de Zapatero (medidas que, aliás, são no essencial as mesmas que o Governo de Sócrates tem vindo a levar à prática).
O facto é tanto mais significativo quanto esta foi a primeira vez que uma greve paralisou totalmente o Metro da capital espanhola - razão pela qual os comentadores a denominam de «greve histórica».
Por isso, aqui fica a saudação do Cravo de Abril aos trabalhadores do Metro de Madrid.

2 - Comentando a derrota da selecção portuguesa de futebol frente à sua congénere espanhola, Rui Madeira (Administrador do Teatro Circo de Braga) disse, entre outras coisas, que Portugal perdeu «e se calhar ainda bem» - e explicou porquê: «Assim podemos voltar a concentrar-nos na crise, nas portagens das SCUT, nos cortes na cultura».
Não está mal visto, não senhor.
A propósito: dia 8 temos aí à nossa espera a jornada de luta da CGTP, óptima oportunidade para nos concentrarmos na crise e nas suas coinsequências todas - e para darmos o necessário pontapé na política de direita.

10 comentários:

Nelson Ricardo disse...

Também tenho estado a par dessa greve. Grande demonstração de força por parte dos trabalhadores do Metro de Madrid.

Quanto mais os governos «xuxialistas» da Europa se vendem ao desbarato ao Capital, mais a luta se intensifica.

De notar que o jornal diário espanhol El País desdobra-se em mil esforços para difamar esta grande prova de resistência dos trabalhadores espanhóis.

Um Abraço

Graciete Rietsch disse...

Eu também já tinha apreciado esse comentário de Rui Madeira. Oxalá que os portugueses, agora que o brinquedo do futebol se acabou e o subsídio de férias se está a acabar, comecem a pensar nos tempos difíceis que vêm aí.

Um beijo.

Maria disse...

Foi uma enorme manifestação dos trabalhadores do Metro contra a política da Zapatero.
Por aqui já li em diversos locais que ainda bem que a selecção já perdeu, porque agora podemos concentrar-nos na luta...
... e a próxima é já dia 8!

Um beijo grande.

smvasconcelos disse...

Foi uma greve em grande, sim. Ouvia as notícias de manhã e pensava que aqui também teremos uma assim, em breve...A tenão é crescente e a luta o meio para a combater.
beijo,

Anónimo disse...

Apesar da excitação dos senhores queria só lembrar que essa "greve histórica" também prejudicou milhares e milhares de pessoas que dependem do seu trabalho. só mesmo para lembrar.
e já agora espero não ter estragado a vossa festa.

J.Z.Mattos

samuel disse...

Não estragou nada,J.Z.Mattos! Um argumento idiota como esse é sempre um motivo para grande festa...

samuel disse...

Este é um jogo longo, longo... mas há-de chegar ao fim.

Abraço.

Antuã disse...

A nossa festa é aluta e não há cretino que a estrague.

Graciete Rietsch disse...

Só uma pergunta relativa a um comentário anterior.Para que serve uma greve se não prejudica ninguém?
Os grevistas, eles próprios também prejudicados, lutam pelos seus direitos mas,ao mesmo tempo, mostram que os trabalhadores são o pilar da sociedade.

Mais um beijo.

poesianopopular disse...

Quando os trabalhadores fazem, uma ou mais greves, é porque se esgotaram todas as formas de fazer respeitar os seus DIREITOS!
A greve é um DIREITO CONSTITUCIONAL!
Viva a coragem dos trabalhadores do metro de Madrid!
Abraço