O DIÁRIO DA MANHÃ VOLTOU

Relembro: o Diário da Manhã era órgão oficial do fascismo salazarista.

Recordo: Diário da Manhã é o título escolhido por António Ribeiro Ferreira (ARF) para uma rubrica por ele assinada no Correio da Manhã.

Insisto: o título da rubrica condiz plenamente com o conteúdo reaccionário, ultradireitista, fascista, das prosas que ARF ali verte.

Concluo: o Diário da Manhã voltou.

Ontem, ARF disparou duas rajadas raivosas: uma sobre José Saramago, outra sobre os que criticaram a ausência de Cavaco Silva no funeral do Prémio Nobel.

Sobre Saramago, ARF alerta os seus correligionários: «é preciso não esquecer que o homem sempre defendeu os massacres cometidos pela União Soviética, as piores ditaduras e nunca esteve ao lado da liberdade» - e há que reconhecer que nenhum escriba do Diário da Manhã fascista desempenharia melhor o papel de sentinela vigilante da defesa do regime.

Quanto aos que criticaram Cavaco por não ter ido ao funeral... se me permitem, abro aqui um parêntesis para fazer uma confissão: pela primeira vez, estive de acordo, digamos assim, com uma atitude de Cavaco; ou seja: gostei de não o ver no funeral de José Saramago - tanto quanto não gostei de ver outros que, hipócrita e oportunisticamente, lá foram...
Voltando à prosa de ARF. Escreve ele, dirigindo-se aos que criticaram o Cavaco: «Vivemos num País de homens e mulheres livres. Gostem ou não. Se não gostarem têm bom remédio. Comam menos. E deixem-nos em paz» - assim escreviam também, e também no Diário da Manhã, os ARF's nascidos, criados e alimentados no País de homens e mulheres livres que Salazar chefiava.

Uma coisa é certa: o Diário da Manhã voltou.
Que mais nos irá acontecer?

11 comentários:

samuel disse...

Este é precisamente uma das poias a que me referi...

Abraço.

Maria disse...

Vêm lentamente, com pés de veludo...
Cambada já é pouco para os classificar.

Um beijo grande.

Antonio Lains Galamba disse...

Maria: depende do adjectivo que juntares à «cambada»... eu cá sei de uns bons... abraços

smvasconcelos disse...

Esse ARF é mesmo um sentinela à moda "antiga", e ao que parece esses saudosos "soldados" do regime aí estão, em ressurreição manifesta. Que nojo...

Quanto ao Cavaco: o presidente, no mínimo, tinha o dever de estado de homenagear um grande homem da pátria.
Ao homem assistiria a liberdade de fazer o que quisesse, ao representante máximo do país assistem deveres de estado!

Um beijo.

filipe disse...

Sempre que o capital se sente em dificuldades, retira os açaimes e açula os cães raivosos contra os democratas. Sempre assim foi e sempre assim será.
"Os cães ladram e a caravana passa" - a nossa caravana, a caravana do povo e da solidariedade, da fraternidade e da luta (atenta, mas convicta e confiante), tem que continuar a avançar!
Um abraço.

joão l.henrique disse...

O Diário da Manhã de tão má memória, que só de me lembrar desse tempo até fico com arrepios.

Um abraço.

Anónimo disse...

Se a Constituição fosse cumprida, como deveria ser natural, esta gentalha não teria existência legal.
A Democracia tem de ser defendida de quem a pretende liquidar.
E deveria sê-lo por quem jura fazê-lo, ao tomar posse dos mais altos cargos da Nação.
Mas... com cavacos trapalhões e sócrates aldrabões, o que se pode esperar?
Tem de ser o Povo!
Por isso... a luta continua!!!
Rui Silva

Graciete Rietsch disse...

E náo é só O Diário da Manhã que volta. Infelizmente o coro já é grande mas eu penso que o terreno lhes vai fugindo debaixo dos pés.
Esperança e luta.

Um grande abraço.

Antuã disse...

Desprezemos o bandalho fascista. Estejamos, porém, alerta.

do Zambujal disse...

Estava a pesar numa coisa curiosa:
nós dizemos "está a voltar o Diário da Manhã" e a imagem é forte, indigna-nos;
os aerreefes dizem "olha, os comunas dizem que está a voltar o Diário da Manhã" e ficam todos contentes, exultam... estão a conseguir o seu fim, fazer renascer o Diário da Manhã.

É a luta. De classes, pois claro!

Abraço

Fernando Samuel disse...

samuel: uma das muitas...
Um abraço.

Maria: cambada e tal...
Um beijo grande.

Antonio Lains Galamba: um abraço.

smvasconconcelos; há muito «antigamente» por aí...
Um beijo.

filipe: e avançará.
Um abraço.

joão l.henrique: e não é caso para menos...
Um abraço.

Rui Silva: eles estão todos fora da lei... fundamental do País...
Um abraço.

Graciete Rietsch: muita esperança e muita luta.
Um beijo.

Antuã: atentos e vigilantes...
Um abraço.

do zambujal: as alegrias de uns são as tristezas de outros...
Um abraço.