OS NÚMEROS E O PREÇO

Segundo dados oficiais, os EUA gastaram até agora um bilião de dólares na invasão e ocupação do Iraque e do Afeganistão: 747 mil milhões no Iraque e 300 mil milhões no Afeganistão.

De acordo com as mesmas fontes, os gastos previstos para o ano corrente são de 136 mil milhões de dólares em ambos os países.

Estes são números fornecidos por quem sabe tudo sobre o assunto.
Não surpreende, por isso, que não tenham sido divulgados outros números tão ou mais relevantes como os que foram tornados públicos.
Por exemplo:
qual o lucro obtido pelos EUA com a invasão e ocupação dos dois países?
(e, já agora: quantos milhões de dólares ganharam os governantes Rumsfeld, Cheney, etc, etc, com os negócios que fizeram?)
E especialmente: quantas centenas de milhares de homens, mulheres e crianças inocentes foram assassinadas pelas tropas ocupantes?

Bom, ficam os números: dólares, dólares, dólares.
E fica o preço: sangue, sangue, sangue: o horror.

16 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Grande "post". Sangue por dólares!!!!!!!
ATÉ QUANDO?

Um beijo, camarada e amigo.

albano ribeiro disse...

Alguns ainda andam por aí,outros "reformaram-se"à frente de instituições as quais os seus lugares foram oferecidos,a ganharem milhões.Os que andam por aí o caso do português Durão (porteiro)dos Açores,reconduzido(mais ninguém o queria) no cargo desta Federação capitalista que é a União Europeia ,ah o espanhol Aznar foi recebido pelo do "tabu",o presidente de alguns portugueses.
Quando é que estes assasinos são julgados?Não há tribunais capazes senão os do povo a virem a julgá-los.
Um abraço

poesianopopular disse...

Essa é a grande verdade, que os povos teimão em não ver(uns) e em não acreditar (outros), por quanto tempo mais?
Quando é que toda esta gente abre os olhos,para ver que todo este dinheiro, pertence a quem trabalha, e que está a ser usado contra o seu esforço do dia a dia em vez de ser usado, para o seu bem estar social?
Como fazer?
Abraço

manesflama disse...

meus amigos o problema nao esta em que lado deve de estar o dinheiro o problema esta de facto na existencia de dinheiro e existencia de poderes politicos sejam eles quais forem o homem tem que dar o salto evolucional que lhe permita viver sem o dinheiro pois ele e falso e cria falsidades e os poderes politicos servirao sempre e somente o dinheiro e nunca a humanidade o debate deve ser focado nesse aspecto "o dinheiro e uma criacao do homem para subverter o homem a poderes establecido leia-se politicos sejam eles de que cor sejam "so depois desse salto evolucional o homem podera viver em harmonia entre si e entre a natureza ate la hade ser sempre a mesma historia .
obrigado.

Justine disse...

Õ preço é exactamente esse: sangue e vidas perdidas!
Crimes se punição...

Aninhas disse...

é mesmo isso, só quando vivermos sem o dinheiro, ou pelo menos sem a sua forma física (vulgo papel moeda)

Maria disse...

Nunca saberemos o número de mortos.
Mas sabemos que são crimes que vão ficar impunes...

Um beijo grande.

samuel disse...

São sempre os números que contam. Desgraçadamente, até quando se fala de ajudas humanitárias é sempre em termos de toneladas... quase nunca de como, o quê e porquê.

Abraço.

Aninhas disse...

mas não se diz que os números são a linguagem de Deus? será que não deveríamos ter tentado medir o que experienciavamos?

smvasconcelos disse...

E disseste tudo: essa é a realidade, objectiva e fria: o único preço foi o sangue de milhares de inocentes mortos. E uns quantos a lucrar desse horror.
Beijo

joão l.henrique disse...

Estamos todos à espera que um verdadeiro Tribunal Internacional, julgue e condene os verdadeiros responsáveis pelas centenas de milhares de homens,mulheres e crianças inocentes, assassinadas pelas tropas ocupantes desses Países.

Um abraço.

Nelson Ricardo disse...

São números que incomodam, aqueles que pedes. Enquanto se mandar essas estatísticas para o ar sempre se convence a multidão que a guerra é outra questão de "défices" e "superavits", não do mais profundo crime à humanidade.

Um Abraço.

Pedro Namora disse...

Como referiu a pianista Maria João Pires, os dirigentes dos EUA são autênticos nazis. E não concordo com o manesflama, cujo comentário incorre no erro, tão comum, de considerar que "são todos iguais".
O dinheiro dos EUA serve para o genocidio de povos diversos. Os recursos de um país pobre, como CUBA, servem para ajudar milhões de seres humanos em todos os continentes.
O problema é o de saber quem detém o poder e a natureza de classe desse poder. Esquecer isto e diabolizar o dinheiro, instrumento de troca, é absolver o capitalismo criminoso.

manesflama disse...

pedro namora pode achar que o que digo nao faz sentido tem todo o direito mas no que diz respeito ao dinheiro pode crer que estou certo e o seu comentario faz-me lembrar as campanhas contra ao armamento nuclear em que se fez passar a mensagem de que so as bombas dos americanos e que matavam felizmente se chega a conclusao que todas matam independente do poder que as detem seja o que for o dinheiro e como as bombas so ha paz quando deixarem de se fabricar
obrigado

Pedro Namora disse...

Manesflama, agora a propósito das bombas nucleares, incorre no mesmo erro. O que é necessário saber: quem criou a primeira? quem assassinou centenas de milhares de homens, mulheres e crianças em Nagasaki e Hiroshima quando a guerra já estava ganha? quem desencadeou a Guerra Fria? Quem se opôs sempre à destruição dos arsenais nucleares? Quem defendeu a teoria da coexistência pacífica?
Para mim, de facto, não são todos iguais. Basta atentarmos na situação portuguesa: o único partido que não engana os eleitores é o PCP! Os únicos em que se pode confiar são os comunistas. Porque independentemente dos resultados eleitorais, sabemos que no dia seguinte estão ao nosso lado na luta pelos direitos, pela melhoria das condições de vida. Hoje, como durante o fascismo, de forma honrada e sem venderem gato por lebre. E sem pedirem nada em troca. Para si, eventualmente, os políticos são todos iguais e isso é um insulto aos milhares de pessoas que dão tudo em troca de nada. Aos que lutam e cada vez somos mais, por um ideal, se quiser, por uma utopia. Porque , como escreve Eduardo Galeano, as utopias fazem-nos caminhar e todas as grandes viagens começam sempre por pequenos passos.
E nisto da luta, recordo sempre o que me ensinou o querido amigo José Casanova: Quem luta, pode ganhar ou perder. Mas quem não luta perde sempre.
Se realmente se preocupa com a questão das armas nucleares, julgo que o estudo das propostas que os soviéticos reiteradamente apresentaram para que cessasse a corrida aos armamentos, pode esclarecer a situação. Deixo-lhe um abraço.

Fernando Samuel disse...

Garciete Rietsch: até conseguirmos dar a volta a isto...
Um beijo.

albano ribeiro: vai demorar, mas serão julgados - nem que seja a título póstumo...
Um abraço.

poesianopopular: lutar, lutar sempre...
Um abraço.

manesflama: o que este post pretende lembrar é que, para o capitalismo, o lucro - seu objectivo maior - justifica todos os crimes.
Um abraço.

Justine: a confirmar a essência criminosa do capitalismo.
Um beijo.

Aninhas: antes disso, é necessário acabar com o sistema baseado na exploração do homem pelo homem...
Um beijo.

Maria: impunes, para já...
Um beijo grande.

samuel: também isso faz parte do sistema...
Um abraço.

smvasconcelos: é assim o capitalismo.
Um beijo.

joão l.henrique: um dia serão julgados...
Um abraço.

Nelson Ricardo: é isso.
Um abraço.

Pedro Namora: exactamente.
Um abraço.