SER OU PARECER EIS A QUESTÃO

«Ser» é uma coisa - «parecer» é outra.
E ninguém exibe melhor as diferenças entre uma coisa e outra do que o nosso por demais conhecido Mário Soares.
Ele «parece» sempre o que não é - e «é» sempre o que não parece.
«Parecendo» (quase) tudo o que há de melhor e de mais positivo, ele «é» (quase) tudo o que há de pior e da mais negativo.
E não tem cura. Está-lhe no sangue.

Hoje, Soares grita no Diário de Notícias a sua indignação face às cargas policiais contra os manifestantes no decorrer da Cimeira de Copenhaga.
Sublinhando que os manifestantes «foram contidos e agredidos pelas forças ditas da "ordem", como se fossem subversivos ou terroristas», o ex-primeiro-ministro e ex-Presidente da República clama que «não se esperava um tal comportamento de um Estado de direito e democrático como é a Dinamarca».

Aí está Soares parecendo o que não é.
Na verdade, lendo o que ele escreveu ninguém dirá que, de todos os primeiros-ministros pós 25 de Abril, Soares foi o que mais vezes recorreu às «forças ditas da ordem» para reprimir trabalhadores - reprimir brutalmente, registe-se: que o digam, entre muitos outros, os trabalhadores da Lisnave.

Mas ele é assim: um desavergonhado para o qual a desvergonha não tem margens nem limites.

9 comentários:

poesianopopular disse...

O meu cão merece-me mais atenção e respeito!
Abraço

Maria disse...

Provavelmente o alemão está a apoderar-se dele. Já não se enxerga (há quanto tempo!!!)

Um beijo grande

Antuã disse...

Os jornais dão muito tempo de antena aos cretinos.

samuel disse...

Bem... sob o governo de Soares, Portugal não era propriamente um Estado de direito e democrático... portanto a coisa justificava-se.
Ainda no outro dia passei uma boa parte da tarde sentado a uma mesa, em Almada, com um "desses", já reformado da Lisnave. Nem imaginas a subversão e o terror que aquilo foi...

Abraço!

alex campos disse...

Soares é a nova versão de "Miguel de Vaasconcelos". Portanto coerência não é bem o seu forte.

Abraço e um bom Natal

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

Soares sempre mostrou a sua raça. Já em 1969 foi divisionista.
Um beijo.

Hilário disse...

Soares, foi e é, um dos politicos mais desavergonhados que passou por este país. Que digam os trabalhadores portugueses
Um Abraço

Anónimo disse...

o ódio e a inveja dos comunistas ao Dr. Mário Soares tambem vos está no sangue.

J.Z.Mattos

Fernando Samuel disse...

poesianopopular: e com razão..
Um abraço.

Maria: é o mais certo...
Um beijo grande.

Antuã: é para isso que estes jornais servem...
Um abraço.

samuel: também eu, no domingo passado, em Almada, falei sobre tudo isto com um reformado da Lisnave...
Um abraço.

alex campos: um Miguel Vasconcelos para pior...
Um abraço.

Graciete Rietsh Monteiro Fernandes: está-lhe no sangue...
Um beijo.

Hilario: foi o maior inimigo da Revolução de Abril.
Um abraço.

J.Z.Mattos: Pois.