POEMA

CARTILHA DE GUERRA ALEMÃ (10)


(POR BAIXO DE UMA FOTOGRAFIA DE HITLER)


Isso que aí está, esteve quase a governar o mundo.
Mas os povos dominaram-no. No entanto
desejaria não ouvir o vosso triunfante canto:
o ventre donde isso saíu, ainda é fecundo.


Brecht

7 comentários:

samuel disse...

Todos os dias há notícias...

Abraço.

smvasconcelos disse...

É preciso estar-se atento... tanto nicho de procriação fascista que paira por aí. :(
beijo,

LGF Lizard disse...

Brecht tinha razão. Ainda andam por aí muitos adoradores de ditaduras, quer de esquerda, quer de direita. Ainda não perceberam que a liberdade é essencial ao ser humano...

CRN disse...

Um ventre fecundo, sem homens que se vendessem... Não obstante, quem se vende não se pode considerar homem, restando-lhe então, à mentira, continuar a parir bestas.

Maria disse...

Parece que cada vez mais. Ventres e ovos...

Um beijo grande

poesianopopular disse...

...E não fora a nossa luta diária e sem tréguas, teria parido muitos mais.
Abraço

Fernando Samuel disse...

samuel: eles andam por aí...
Um abraço.

smvasconcelos: eles não estão mortos, estão é mal enterrados...
Um beijo.

LGF Lizard: Pois.

CRN: quem se vende... é um vendido...
Um abraço.

Maria: serpentes...
Um beijo grande.

poesianopopular: não tenhas dúvida.
Um abraço.