POEMA

PROGRAMA


Esta ânsia de indagar,
de analisar, de propor,
de discutir, de negar,
de afirmar só duvidando,
para a cada dúvida erguida
sempre outras razões opor,
de por igual estar presente
onde estou e onde não estou,
é o caminho mais puro
que vale a pena trilhar.

Este prazer de arrasar,
para de novo construir,
de imaginar que sou aço,
sem me esquecer de que sou,
irremediavelmente,
mísero, frágil, comum,
de pele, músculos, ossos,
sangue, nervos, desatinos,
é o destino mais claro
que vale a pena sonhar.

Este orgulho de não querer
nada para mim apenas,
para ter os braços mais livres,
para mais livre pensar,
para ser mais de direito
dono do que necessito,
para a quanto me rodeia
não o achar nunca estreito,
é a riqueza maior
que vale a pena ganhar.


Armindo Rodrigues

5 comentários:

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

Vou deixar aqui um pequeno comentário não apenas a este poema mas a tudo quanto tens escrito nestes últimos dias. Admiro~te "Cravo de Abril" pela maravilhosa selecção dos poemas que apresentas e pelas criteriosas palavras com que vens definindo estes últimos dias de campanha. São absolutamente adequadas. Só gostava que elas encontrssem eco em muitos indecisos e mal informados para que calmamente pudéssemos esperar os amanhãs que hão-de cantar bem assentes nos que já cá cantam. Um grande abraço.

amigona avó e a neta princesa disse...

Depois de ler o que disse a Graciete só posso dizer-te - a luta continua!

Maria disse...

Que beleza... Acho que vou reler Armindo Rodrigues... assim tenha tempo!

Um beijo enorme

samuel disse...

... e a certeza mais firme: vale a pena lutar!

Abraço.

Fernando Samuel disse...

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes: obrigado - um beijo grande.

amigona avó e a neta princesa: e só com a luta lá chegaremos...
Um beijo amigo.

Maria: tens que arranjar tempo...
Um beijo grande.

samuel: essa é a grande certeza.
Um abraço.