POEMA

VIAGEM ATRAVÉS DE UM COMÍCIO


O sol em chapa ou o aperto da sala.
O camarada que fala
a pesar as palavras numa balança de precisão
multiplicada cem mil vezes a atenção.
O comício é muito importante.
Vezes sem conta dissemos PCP.
Comprámos o emblema, o autocolante.
Gritámos as palavars de ordem correctas
e ainda outras que enfim...
A nossa força torna-se evidente, real.
A nossa consciência sabe melhor porquê.
Cantar o «Avante», mesmo desafinado
mas em coro, levanta-nos o moral.

Os camaradas que ficaram de vigilância
aos Centros de Trabalho, aguardam ansiosos
que venha alguém: «Correu tudo bem?
Estava cheio?, Não houve novidade?»

Ouvem tudo, recolhem dos nossos gestos
o eco da alegria. À sua guarda
o Centro de Trabalho é uma enorme colmeia.


Mário Castrim

8 comentários:

samuel disse...

Este poema é todo ele uma pérola... mas com o feitio desgraçado que tenho, sempre me desmanchei com os dois versos "Gritámos as palavars de ordem correctas / e ainda outras que enfim..."

Este "e ainda outras que enfim..." é genial! :-)))

Abraço.

smvasconcelos disse...

... E traduz o espírito de empenho, coordenação e esforço desta grande família de todos nós.
bjs,

Anónimo disse...

Vivia-se então o "Verão quente de 75"; eu, como outros, fazia "seguranças" ao Vitória e à António Serpa; não se sabia, então, da existência de um tal de sócrates; apenas de um "tal" de soares; e que "tal"...
Apesar de tudo; que saudades!...
(havia, ainda, tanta conquista a defender!)

Rui Silva

Maria disse...

Um arrepio... de memórias longínquas e tão próximas, ainda...

Um beijo grande

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

Não conhecia, muito bom!
No entanto acho que me permites uma divagação, os comicios são fundamentais, sentimos a força da nossa união, nada se compara a sentirmo-nos peça única e fundamental de um colectivo enorme.
No entanto ser-se comunista é mais que os comicios, a festa, os autocolantes ou as palavras de ordem, muito mais. È mostrar em tudo que participamos, a escola, o trabalho, a colectividade, a familia, que somos diferentes que pugnamos por justiça, que somos fraternos, solidários e verdadeiros.

Beijos

Fernando Samuel disse...

samuel: é um «pormenor» fabuloso.
Um abraço.

smvasconcelos: traduz tudo isso exemplarmente.
Um beijo.

Rui Silva: nessa altura havia ainda conquistas a... conquistar.
Um abraço.

Maria: memórias que provocam lágrimas e nos dão novas forças...
Um beijo grande.

Ana Camarra: claro que ser comunista é tudo isso... mas, talvez tudo isso esteja implícito neste poema do Castrim...
Um beijo.

rapariga do tejo disse...

Este poema lindíssimo fez me lembrar " Um risco na areia"

Em que todo o poema advêm de uma manifestação!!! :)

LINDO CAMARADA

Aquele abraço

Fernando Samuel disse...

rapariga do tejo: faz-nos lembrar... nós e a nossa luta...
Um beijo.