POEMA

A QUEIMADA


A erva daninha era o escalracho.
NÓS o arrancámos.
Depois botámos fogo à planície.
Nada houve tão necessário
desde o fundo dos tempos.
Cresceram chamas até aos astros
e o clamor da nossa voz
foi um cântico de certeza
na boca do vento.

Agora o nosso olhar possui a planície.
NÓS trazemos as águas,
NÓS trazemos o arado e as sementes
e suamos sangue:

Irmãos, a planície é nossa!


Papiniano Carlos

5 comentários:

Ludo Rex disse...

É e vai continuar a ser.
Abraço

samuel disse...

Tal como os frutos!

Abraço.

Maria disse...

Agora só falta iniciarmos a subida para a montanha...

Um beijo grande

Ana Camarra disse...

è isso, é nossa...

Fernando Samuel disse...

Ludo Rex: conquistámo-la...
Um abraço.

samuel: e os troncos, e os rebentos...
Um abraço.

Maria: e depois da montanha... há outra planície...
Um beijo grande.

Ana Camarra: e nossa será...
Um beijo.