A LUTA CONTINUA!

A repressão sobre dirigentes e activistas sindicais aumentou consideravelmente no ano de 2008: contam-se por milhares - muitos milhares! - os representantes dos trabalhadores vítimas das mais diversas medidas repressivas.
Do despedimento à prisão, à tortura e ao assassinato, passando pelas ameaças e chantagens do mais variado tipo, a tudo o grande capital internacional e os seus serventuários nos governos têm recorrido, com o objectivo de desarticular a luta organizada dos trabalhadores e de enfraquecer e, se possível liquidar, as suas estruturas representativas.

Dados divulgados pela Confederação Sindical Internacional mostram que a repressão tem vindo a assumir novas formas, sendo muitos os casos em que são os próprios patrões - através das suas polícias privadas e com a complacência das autoridades governamentais - a prender, agredir e torturar trabalhadores.
Também o número de trabalhadores assassinados por desenvolverem actividade sindical continua a aumentar: no ano de 2008, foram mortos 76 sindicalistas.

A Colômbia continua a ocupar o primeiro lugar na repressão anti-sindical: dos 76 assassinados no ano de 2008, 49 eram sindicalistas colombianos.
Recorde-se que, nos últimos dez anos, mais de 2 700 sindicalistas foram assassinados no país governado pelo narcofascista Uribe.
Registe-se que, no ano de 2009, o número de dirigentes sindicais assassinados na Colômbia é já de, pelo menos, 17.
Recorde-se e registe-se que a Colômbia é vista pelos EUA como a democracia mais avançada da região e onde o respeito pelos direitos humanos é uma realidade...

Sublinhe-se que por maior e mais brutal que seja a repressão ordenada pelo grande capital, ela não conseguirá impedir a continuação da luta dos trabalhadores e dos povos - luta que prosseguirá até à vitória final.

9 comentários:

Maria disse...

Luta que está em crescendo, e que continuará, até à vitória final.
Também o "respeito pelos direitos humanos" tem um forte conteúdo de classe...

Um beijo grande

Antuã disse...

A Colômbia é um verdadeiro exemplo da democra-CIA. Os governantes americanos e seus vassalos europeus bem podem limpar-se a este guardanapo.

samuel disse...

E por estranho que possa parecer a alguns, não param de aparecer homens e mulheres que vêem e sonham muito para além do seu bem estar pessoal estando dispostos a dar tudo, na luta pelos direitos de todos.

Abraço.

Ludo Rex disse...

Lutaremos, a Luta continua Sempre!
Abraço

Marco Pereira disse...

O 25 de Abril não trouxe nada de novo a este país, a não ser pobreza e uma liberdade invisivel. A fachada dos grandes heróis como por exemplo o Sr. Dr. Excelentíssimo, etc. Mário Soares, ditos exilados, longe da revolução que, na hora H chegaram todos com um cravo na mão, de sorriso na boca, com o desejo de acabar com o fascismo para implementar o socialismo. Este país nunca foi e a este ritmo, nunca será democrata, porque nenhum político é serio, ninguém é descriminado por aquilo que faz. Quando um trabalhador comum não trabalha, é despedido. Quando um dos deputados que, por vezes, questiona-se a sim próprio ''como é que vim cá parar?'' para não falar da pergunta mais frequente do ''como é que vou resolver isto? ou do ''como é que desvio isto sem ninguém perceber?''.. esse tipo de gente que se julga superior a alguém, quando falha no seu trabalho não é despedido.. vai de ferias porque trabalhou muito no erro. Neste país não são só os vagabundos que não trabalham, os políticos também não, mas só porque vestem fato e gravata, não são postos a margem da sociedade. Viva à farsa do 25 de Abril! Ps: este país precisa de uma revolução, mas não é com cravos, porque ninguém respeita o povo, muitos políticos acham-se os protagonistas principais de uma telenovela, o resto é figurante..

Fernando Samuel disse...

Maria: a «classe» está em tudo...
Um beijo grande.

samuel: e são esses que contam...
Um abraço.

Antuã: é um exemplo acabado da democracia deles.
Um abraço.

Ludo rex: e só com a luta lá chegaremos.
Um abraço.

Marco Pereira: a meu ver, a Revolução de Abril foi o momento mais luminoso e mais avançado da nossa história - e a contra-revolução foi um dos momentos mais sombrios e retrógrados.
Um abraço.

Ana Camarra disse...

Não é estranho, por isso mesmo se ataca é perigosa para certos "donos" do mundo e da verdade.

beijo

Marco Pereira disse...

Alguém sabe onde está a liberdade, onde está a igualdade de direitos, as ruas sem mendigos, loja do cidadão sem clandestinos? Ninguém sorri duas vezes porque durante 11 anos que somos dominados porque nos continua a dominar e a receber credibilidade. Esta escuridão que assombra Portugal, só diz respeito a alguns. Política em Portugal é fachada, política em Portugal é cunha, Política em Portugal são interesses, papeis, burocracias resolvidas sabe-se lá quando. Pensem no povo, não valorizem que nunca vos valorizou e, se o fez, foi pelo vosso voto. Uma nova revolução pede-se, por parte de todos os que anseiam ser felizes, por parte de quem é verdadeiramente humano pelos seus princípios e não pelos seus ideais económicos.

Anónimo disse...

Mais grave que a crise económica, é a crise de valores que está a levar este país à bancarrota...as assimetrias sociais são dificeís de se perceber quando se está na mó de cima, mas se algum desses meninos aterra na realidade,a primeira coisa a fazer é se atirar da ponte. Portugueses que suportam viver em condições degradantes o que é que têm a perder, simplesmente nada, porquê que não se manifestam?.. continuo a sonhar com uma política feia à medida do povo Português.