SEM COMENTÁRIOS

António Dias Lourenço é, naturalmente, tema maior no Avante! de hoje.
Ali podemos ler, para além de aspectos vários da história da sua vida de revolucionário, declarações feitas pelo próprio em momentos diversos e sobre temas diversos.
Aqui ficam - sem comentários - extractos de algumas dessas declarações.


Clandestinidade
«Em 1941, fui atirado para o Alentejo, deram-me mais o Algarve e, como era pouco, deram-me mais Gouveia e a Covilhã... De bicicleta, de bicicleta... E eu era o único «ciclista» que fazia isto tudo. Tínhamos de fazer longos percursos... O Álvaro Cunhal - que estava no Norte - às vezes vinha durante toda a noite a pedalar até Lisboa, reunia durante o dia e ia na noite seguinte outra vez para o Norte, de bicicleta. A gente conhecia Portugal com a geografia das botas.»

«Tivemos de criar formas de o Avante! sair, mesmo com o assalto da polícia a uma tipografia. Tínhamos sempre mais do que uma tipografia a fazer o mesmo Avante!. Algumas vezes a polícia assaltava ou impedia que uma tipografia fizesse o jornal e faziam festa: "Acabou-se, conseguimos!". Nessa altura estava o Avante a ser distribuído porque tinha sido feito noutra tipografia.»


Prisão e tortura
«Eu já sabia que eles gostavam de ver a cara dos presos sob a tortura. E resolvi construir para a minha cara um ligeiro sorriso constante. Mesmo debaixo das dores mantive sempre um sorriso.
A mim não me háo-de ver a cara torturada».


Tribunal
Juiz: «É verdade que o senhor reingressou no PC em 1954 logo após a sua fuga do Forte de Peniche?
Dias Lourenço: «Só reingressa quem sai... e eu orgulho-me da haver abraçado a causa do comunismo desde os alvores da minha juventude e de manter até hoje sem interrupções a honrosa condição de comunista, qualidade que espero conservar até ao último alento da minha vida.»


Felicidade
«O que me faz mais feliz é ver toda essa gente nova que vem ao Partido, para pegar na bandeira e andar para a frente»
«Estar neste combate é uma felicidade».

7 comentários:

samuel disse...

E essa felicidade via-se-lhe no rosto, no trato...

Abraço.

Maria disse...

Impossível deixar de me emocionar...
Tantos mais houve que pedalaram noites e noites por este país...
Foi um revolucionário de corpo inteiro cuja memória vamos honrar erguendo a bandeira e continuando a Luta!

Um beijo grande.

Graciete Rietsch disse...

Fiquei emoconadíssima com esta leitura e orgulhosa por alinhar com personalidades com a dimensão de um Dias Lourenço, um Álvaro Cunal e tantos, tantos outros, alguns já falecidos, mas nunca desistindo, e outros, felizmente continuando a luta com a mesma heroicidade.
Só espero que a juventude saiba realmente empunhar a bandeira da luta e da esperança.

Um beijo,camarada.

smvasconcelos disse...

Foi um homem coerente, um homem inteiro!
Personificava com intensidade os ideais que abraçou desde cedo, e que nunca traíu... até ao fim!
Não há nada mais admirável que a verticalidade e a coerência!
Um beijo

Antuã disse...

Enfim, um comunista!

Hilário disse...

A felicidade dele é o futuro do amanhã.
Um Abraço

GR disse...

É esta força, esta vontade, esta determinação que me/nos faz trabalhar, seguir em frente, Lutar! Porém, impossível não nos emocionar.

Bjs,

GR