ENFIM, É A CRISE...

Vá lá a gente entender estas coisas: entidades altamente responsáveis - designadamente o ministro da Agricultura - dizem que não há qualquer razão para que o preço do pão aumente.
Entretanto, o preço do pão não só já aumentou como vai aumentar mais - e «bastante», diz quem sabe...
Enfim, é a «crise».

Trata-se, então, de um aumento «sem razão» - e há-de ser brutalmente reconfortante, para os que já começaram a pagar o primeiro aumento e estão condenados a ter que pagar o segundo, saber que «não há qualquer razão» para esse aumento...
Imagine-se o que seria se houvesse «razão» para o aumento!...
Enfim, é a «crise».

Mas há mais: informam os jornais que, a partir de Setembro, «comer num restaurante, tomar o pequeno almoço numa pastelaria ou simplesmente beber uma bica no café da esquina, vai passar a ser mais caro».
E diz quem sabe que até «os copos de água podem deixar de ser de graça».
Enfim, é a «crise».


Aumentos com «razão»? Sem «razão»?
Para o caso tanto faz: com «razão» ou sem ela, diz a «crise», há que pagar.
E com «razão» ou sem ela, tudo aumenta - excepto, claro, os salários de quem trabalha e vive do seu trabalho, mas também nesse caso é a «razão» a mandar: não aumentam os salários mas, em compensação, aumentam os lucros do grande patronato, uma coisa dá para a outra, não sei se estão a ver a «razão» da coisa, isto é da «crise»...

Enfim. é a «crise» - que, como o primeiro-ministro não se cansa de nos ensinar, «toca a todos»...

7 comentários:

smvasconcelos disse...

A todos menos a ele e sequazes lacaios, que se pavoneiam em ostenções de luxo (e muitas vezes à custa de malabarismos financeiros que prejudicam muitas contas públicas...) quando milhões de pessoas nem sabem como hão-de alimentar os filhos amanhã... Isto revolta. Muito!
Um beijo,

Antuã disse...

Maldita crise. Quando é que corremos os seus responsáveis a pontapé?

samuel disse...

Tocar toca... mas em sítios diferentes... e com toques muito diferentes...

Abraço.

Graciete Rietsch disse...

E o aumento de vendas dos automóveis e casas de luxo, são uma causa dessa crise. Ou uma consequência? Quanto a mim são as duas coisas.

Um beijo.

Pedro disse...

Fora de assunto, mas como normalmente estes temas são motivo de conversa por estas bandas, aqui vai:

"Gordon Brown pede 100 mil dólares por discurso"

http://economico.sapo.pt/noticias/gordon-brown-pede-100-mil-dolares-por-discurso_97284.html

Maria disse...

Pois toca, de forma diferente e até antagónica...

Um beijo grande.

Fernando Samuel disse...

smvascioncelos: mas eles são... eles...
Um beijo.

Antuã: já era mais do que tempo...
Um abraço.

samuel: muito, muito diferentes...
Um abraço.

Graciete Rietsch: causa e efeito...
Um beijo.

Pedro: é o cachet normal dos ex-governantes...
Um abraço.

Maria: o que é mau toca a quase todos..
Um beijo grande.