O EUROMILHÕES...

O Diário de Notícias tem um fraquinho pelo Bloco de Esquerda.
Não sendo um caso raro no panorama dos média dominantes em Portugal - os quais, sabe-se bem porquê, tratam o BE com carinhos maternais - a verdade é que o DN dá cartas na matéria, muitas vezes mais parecendo ser órgão oficioso daquele partido.

Todos os dias - todos! - o DN tem algo para dizer aos seus leitores sobre o BE. E o que diz é sempre altamente elogiativo - inclusive quando compara a actividade dos diferentes partidos, como aqui mostrei no comentário à peça em que o DN, falando das «rentrées», e iludindo a realidade, apresentava o BE como campeão absoluto da actividade partidária.

Na sua edição de hoje, o DN dedica 4-páginas-4 do seu precioso espaço a uma entrevista com Francisco Louçã.
Curiosamente, o entrevistador - João Céu e Silva - começa por informar os leitores que o entrevistado «foi contrariado até ao fim» nas suas investidas para, no decorrer da entrevista, fazer «propaganda» partidária...
Mas isso é o entrevistador a falar... já que, lendo a entrevista, o que se nos depara é que ele, entrevistador, não só aceita a propaganda feita como boa, mas estimula-a activamente através de perguntas feitas com a conta, o peso e a medida necessários para propagandear o BE através da propaganda ao seu líder...

E é com esse mesmo objectivo de oferecer aos leitores informação sobre o entrevistado que o entrevistador, depois de traçar o habitual «perfil» elogiativo do entrevistado, produz este vibrante e dinâmico pedaço de prosa (sublinhados meus):
«Antes de partir para férias, Francisco Louçã aceitou dar uma entrevista a poucas horas de mais um comício da "digressão" partidária algarvia do Bloco de Esquerda. Mal acabou a conversa, foi enfiado numa carrinha e ala para o convívio de cidadãos de esquerda que o esperava a poucos quilómetros. De madrugada, embarcaria num avião para iniciar um período de férias. Fica a promessa de regresso para fazer a vida difícil ao Governo e ao recém-eleito líder do PSD, Pedro Passos Coelho. E um apoio declarado ao socialista Manuel Alegre como ponte para a esquerda.»...

Escreve João Céu e Silva que Louçã, «não se queixou» por ter sido «contrariado até ao fim» da entrevista nas suas investidas para fazer «propaganda» partidária...
Pudera!: com esta propaganda feita pelo entrevistador que necessidade tinha o entrevistado de se auto-propagandear e ao seu partido?

Ainda na edição de hoje do DN:
uma entrevista de página inteira ao eurodeputado do BE, Rui Tavares;
1/4 de página com uma «intervenção» de um «deputado do BE»;
uma notícia sobre uma «exigência» do «BE da Madeira»;
uma notícia sobre a «posição do BE» acerca «do fecho dos SAP das Misericórdias»...

Não há dúvida: o DN é o euromilhões do BE...

15 comentários:

samuel disse...

Não há favorecimento de uns e boicote de outros. São sempre "critérios jornalísticos"...

Abraço.

Membro do Povo disse...

Nunca o grande capital apoiou tanto um partido de "esquerda"! Talvez o P"S"...

filipe disse...

Cumprindo ambos, "D.N." e o B."E.", cada um ao seu modo, os objectivos traçados pelo patrão cumum - e com ajudas directas da "mãozinha" do PS - é natural que com ambos tudo corra como entre os anjos...
A propósito, com tantas evìdências destas, só "anjinhos" - e muito, muito distraídos! - ainda podem acreditar nesta "esquerda".
Um abraço.

joão l.henrique disse...

O DN é o euromilhões do BE e a "taluda" para o PS e partidos de direita, há muito tempo.

Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Tantos euromilhões para o BE e ele, agradecido, lá vai cumprindo o seu papel de ataque, pela esquerda,a quem de facto luta por uma verdadeira ruptura com esta política de direita.

Um beijo.

smvasconcelos disse...

É notório e o teu post evidenciou-o ainda mais com os factos descritos, que este be é protegido (ou vendido) pelos média.
beijo,

Anónimo disse...

E vivó DN... "de esquerda" (de velha tradição salazarenta)!!!

Rui Silva

Anónimo disse...

Numa palavra, isto tudo é inveja do BE, não é?
de facto pela desgraça em que está o PCP nunca lhe sairá o euromilhoes :))

J.Z.Mattos

Maria disse...

Já estava agoniada com o post. Agora fiquei mais.
Mas quem me manda vir aqui a esta hora?

Um beijo grande.
(e tem paciência....)

Antuã disse...

O Capital serve-se de tudo incluindo as aparências de esquerda. Por outro lado já há muito tempo que não aparecia por cá um certo virus.

Antonio Lains Galamba disse...

é a democracia deles...
abraço

Antuã:
aparecia sim. não comenta porque não tem argumentos (e quando comenta também não, a diferença é que pensa que sim). abraço

Anónimo disse...

Caro António L. Galamba:
nao tenho argumentos? os argumentos estao no post. nao os iria repetir. eu apenas disse em palavras simples (porque nao tenho linguagem chique) aquilo que está no post. para mim é simples ver que o problema da guerra entre PCP e BE (que Jeronimo Sousa assim mostrou no congresso) é que o PCP nao suporta o facto de ter ficado atrás do Bloco em eleiçoes (que nao é bem um euromilhoes), e depois a culpa é dos "media dominantes". essa é que é a questao.

J.Z.Mattos

Membro do Povo disse...

Desculpem o senhor Matos camaradas, afinal ele até esteve presente no nosso ultimo congresso e é por causa disso que sabe que lá falamos do BE.
Espera lá... eu estive presente no nosso congresso e não me lembro de termos falado muito do BE! há pois é, o senhor Matos só sabe que se falou do BE no nosso ultimo congresso porque os média dominantes passaram essa mensagem como se fosse verdadeira! Ou seja: será ele uma mente formatada pela comunicação social que tanto desculpabiliza?
Vamos lá senhor Matos argumente com a sua tão estimada presença nos congressos do PCP!

Antonio Lains Galamba disse...

Meu caro Mattos: nunca viu nem ouviu por aqui ninguém dizer-se triste ou feliz por, eleitoralmente, ficar à frente ou atrás de quem quer que seja. Não é isso que está em causa como muito bem saberá, já que se mostra tão atento ao PCP. o que o meu camarada comentou neste post é a inevitabilidade da constatação de pessoas atentas: a comunicação social, em larga medida, apadrinha o Bloco de Esquerda. Por outro lado silencia o PCP. Nós não estranhamos, visto que o facto é reflexo da essência e da combatividade do PCP e da aceitação tácita - por parte do Bloco - deste tipo de sistema. Mas o facto de não estranharmos não significa que este não seja um bom exemplo da democracia burguesa. Pode não concordar e opinar de forma diferente. Mas, se procurar a essência teórica dos comunistas, perceberá que não é esta a democraCIA que queremos. É outra, bem mais democrática. E antes que comece, não, não me venha falar de mortos e gulags e etc. Não me venha provar que não valeram de nada estas letras e o meu tempo.

cumprimentos

samuel disse...

Quilómetros e quilómetros quadrados de matos bons a arder... só este mattos... :-)))