POEMA

O MACACO


Nunca se sabe
até que ponto
um macaco pode chegar
na ânsia de nos imitar.

Dizem alguns autores
ser o macaco
difícil de apanhar
- mas não.

Em qualquer
mundana
reunião
num ombro
numa frase
num olhar
no jeito "humanista"
de falar
aí temos o macaco
a trabalhar
procurando
aproveitar a confusão.

Pessoalmente
sou de opinião
que o macaco
é fácil de caçar
até à mão.

Alexandre O'Neill

6 comentários:

samuel disse...

Começa a ser difícil é conseguir enxotar os ditos...

Abraço

utopia das palavras disse...

Não é difícil apanhá-los pela mão...basta determinação!

Este ano temos 3 oportunidades...haja lucidez... na mão (quero dizer no voto)!

Beijo

CRN disse...

Fernando,
sempre que haja folhas verdes, o macaco não descansa, afana-se a afanar, como num ritual, numa matança.

A revolução é hoje!

Maria disse...

É fácil, mas andam por aí tantos...
E o que fazemos com eles?
(nem os cães os querem comer)

Um beijo grande

poesianopopular disse...

O problema é que:- já há mais macacos que galhos, daí o facto de isto se estar a tornar uma macacada!
Abraço

Fernando Samuel disse...

samuel: são muitos, são, até parece que estão a aumentar...
Um abraço.

utopia das palavras: ora aí está a perspectiva correcta.
Obrigado pela visita e pelo comentário.

CRN: que grandes macacos!...
Um abraço.

Maria: talvez mandá-los à fava...
Um beijo grande.

poesianopopular: uma autêntica macacada!...
Um abraço.