A CIMEIRA DA GUERRA

Em 16 de Março de 2003, faz hoje seis anos, três criminosos de guerra - Bush, Blair e Aznar - juntaram-se na Base das Lajes, naquela que viria a ficar conhecida por «Cimeira da Guerra».
Para lhes servir as bebidas, enquanto decidiam invadir e destruir o Iraque, chamaram o então primeiro-ministro de Portugal, Durão Barroso , o qual viria a cumprir tão exemplarmente as funções de lacaio que, logo a seguir, foi promovido a presidente da Comissão Europeia.

Barroso, disse na altura o que lhe disseram para dizer: que «é dele (Saddam) a responsabilidade de não ter respeitado durante anos o direito internacional» e de ter em seu poder terríveis armas de destruição maciça» - e que «esta Cimeira é a última oportunidade para uma solução política».

A «solução política» chegou quatro dias depois da Cimeira: às ordens do imperialismo norte-americano, o Iraque foi sistematicamente arrasado e centenas de milhares de iraquianos assassinados, naquele que foi um dos mais bárbaros crimes da história.

Posteriormente, Barroso, armado em ingénuo, declarou que tinha agido «com base em informações, que não foram confirmadas, de que havia armas de destruição maciça no Iraque»...
Quanto a Bush, Blair e Aznar, esses declararam que sabiam da inexistência dessas armas no Iraque...

Feitas as trágicas contas, estamos perante quatro criminosos de guerra, quatro assassinos em massa, quatro réus que aguardam o julgamento - até um dia...

7 comentários:

Maria disse...

Estes quatro (e mais uns tantos) deveriam ser julgados pelo Tribunal Internacional de Haia.
Digo eu, que gosto mais dos enteados que dos filhos...

Um beijo grande

samuel disse...

É preciso não esquecer nem deixar esquecer.

Abraço

vovó disse...

foi, certamente, a coisa mais vil e repugnante, que se passou na minha terra!
infelizmente!!!
que não a esuqeçamos.

beijocassss

Ana Camarra disse...

de facto as más acções foram recompensadas, a familia bush en riqueceu mis com esta Guerra, Aznar e Blair tiveram os seus tachitos, ao Zé Manel também lhe deram um tacho e pronto.
Entretanto um país foi devassado e um povo massacrado.
Haverá justiça um dia.

beijos

Luís Rocha disse...

Por outro lado na Venezuela há uma oposição direita que se diz pela liberdade e pela democracia e que entretanto despede trabalhadores das suas autarquias por razões políticas e incendeia o carro de um apresentador de TV pro-Chávez. Ver aqui:
http://tirem-as-maos-da-venezuela.blogs.sapo.pt/15438.html

Ou seja camaradas, a propósito deste post eu vos digo: a impunidade dos criminosos imperialistas e dos seus lacaios tem de acabar!
Os factos mostram que os maiores criminosos são os oligrarcas e burgueses e não a gente do povo!

Antuã disse...

os criminosos em grande escala estão no poder mas um dia há-de ser feita justiça.

Fernando Samuel disse...

Maria: ou por um tribunal a sério...
Um beijo grande.

samuel: matar é a profissão deles.
Um abraço.

vovó: dizes bem, é difícil ir-se mais longe no desprezo pela vida.
um beijo.

Ana Camarra: claro, foram todos muito bem pagos...
Um beijo.

Luís Rocha: e acabará, um dia...
Viva a Revolução Bolivariana!
Um abraço.

Antuã: e nesse dia... ai deles!
Um abraço.