«INDIGNAÇÃO»...

Ainda a propósito da questão aflorada no meu post «isto anda tudo ligado», transcrevo a crónica, carregada de ironia - e, lamentavelmente, de verdade - publicada hoje no Correio da Manhã.

«INDIGNAÇÃO

O meu vizinho Alberto ficou sem emprego. Parece que a fábrica onde trabalha a mulher também vai fechar. A sua velha mãe, idosa, não consegue pagar os medicamentos com a pequena reforma que recebe.
O Alberto está muito indignado: aquele sacana do Lucílio Baptista inventou um pénalti escandaloso»

Pois...

8 comentários:

samuel disse...

É um malandro!!!

Aristides disse...

Desculpa lá, Fernando Samuel, não é muito mais importante um penalti por assinalar do que o desemprego a aumentar? É que assim, os desempregados têm algo com que se entreter (ia a dizer "nas horas vagas" mas achei de mau gosto)
Abraço

Nuno Ricardo disse...

O Alberto é um dos que se deixou envolver pela vergonhosa montagem dos "média" que estão ao serviço de quem quer continuar a se encher à custa das dificuldades e da miséria dos "Albertos". Enquanto montam "notícias" sobre penaltis existem "Albertos" que deixam de ter como alimentar os filhos, e "Albertos" que tombam de fome!!! Mas os "média" têm mais com que se preocupar! Têm a "encomenda" de falar da selecção!!!

Antuã disse...

o pior é que há muitos albertos por aí.

Maria disse...

Pode ser que o Alberto acorde e um dia destes desfile connosco... é um sonho que tenho...

Um beijo grande

Ana Camarra disse...

Ai ai ai essa mentalidade ´que me mata!

Hilário disse...

Infelizmente temos muitos Albertos, mas a luta continua.

Um Abraço

Fernando Samuel disse...

samuel: um autêntico malandro!...
Um abraço.

Aristides; claro: um penálti é um pénalti, e o desemprego... não é um penálti...
Um abraço.

Nuno Ricardo: e não há dúvida de que essa montagem dos média é poderosíssima.
Um abraço.

Antuã: demasiados...
Um abraço.

Maria: é bem possível que muitos albertos já tenham desfilado connosco...
Um beijo grande.

Ana Camarra: temos que dar a volta a isto.
Um beijo.

Hilário: é o que não falta por aí... mas nós cá estamos.
Um abraço.