A ORDEM NATURAL DAS COISAS...

TÍTULOS DE HOJE:

«Pânico nas bolsas»

«Banca e seguros provocam nova derrocada nas bolsas mundiais»

«Ontem, o índice europeu registou a maior queda diária do ano»

«Nos EUA o cenário não foi mais animador»

«As acções norte-americanas vivem o pior início de ano de sempre»

«É a crise»


Pois: é a crise.
Para a qual os governos, os da UE e o dos EUA, não se cansam de anunciar reflexões à procura de soluções - e parece não se entenderem a não ser em dois aspectos:

1) - as consequências da crise, bem como os custos da sua superação, devem cair essencialmente sobre quem trabalha e vive do seu trabalho.
Isto porque, como desde pequeninos nos foi ensinado, os capitalistas existem para ter lucros e não para ter prejuízos. E, como estamos fartos de saber, para os capitalistas terem lucros é preciso que explorem os trabalhadores, porque o dinheiro não cai do céu.
A isto chama-se - como todos os dias nos é dito por governantes, analistas, comentadores e politólogos - «a ordem natural das coisas».


2) - é preciso que os bancos não se afundem e, nesse sentido, os governos dar-lhes-ão todo o dinheiro que for necessário.
Isto porque, como toda a gente deveria saber, os bancos privados são os fiéis depositários, são verdadeiros cofres fortes, precisamente daquilo que governantes, analistas, comentadores e politólogos, designam por «a ordem natural das coisas».
Sabemos como o prestimoso governo PS/Sócrates tem vindo a resolver a «crise» dos bancos nacionais...
E dizem-nos, agora, que «só na Alemanha, França e Reino Unido já foram gastos mais de 140 mil milhões de euros na recapitalização dos bancos» - e que, «nos EUA, o primeiro pacote de ajudas atingiu os 556 mil milhões de euros, e o segundo, 596 mil milhões de euros».

Dizem-nos governantes, analistas, comentadores e politólogos que é esta «a ordem natural das coisas»...

9 comentários:

Maria disse...

Um dia hão-de admitir que "o sistema capitalista falhou redondamente: era a ordem natural das coisas".
(espero que tenhas sorrido...)

Um beijo grande

Antuã disse...

A ordem natural das coisas é o capitalismo morrer. Vamos lá a encontrar cicuta para fazer um chá para esses socretinos do capitalismo.

samuel disse...

São as leis do mercado... que infelizmente ainda muita gente não pergunta quem diabo escreveu e com que legitimidade.

Abraço

Anónimo disse...

Pensamento do dia em 1867:
"Os donos do capital vão estimular a classe trabalhadora a comprar bens caros, casas e tecnologia, fazendo-os dever cada vez mais, até que se torne insuportável. O débito não pago levará os bancos à falência, que terão que ser nacionalizados pelo Estado"
Karl Marx, in Das Kapital, 1867

- "Bruxo"!!!
Rui Silva

alex campos disse...

Só há uma força capaz de modificar esta ilógica "ordem natural das coisas". Convencê-la é a nossa tarefa que se tem demonstrado difícil.

Abraço

Fernando Samuel disse...

Maria: não sorri: ri!
Um beijo grande.

samuel: as leis dominantes são as leis da classe dominante...
Um abraço.

Rui Silva: creio que essa frase não é de Marx - no entanto, isso em nada anula o rigor da sua análise ao sistema capitalista.
Um abraço, camarada.

alex campos: por isso temos que insistir, insistir sempre...
Um abraço.

Fernando Samuel disse...

Antuã: boa ideia, essa da cicuta...
Um abraço.

Ana Camarra disse...

Camarada

è que digo somos uns loucos, queremos contrariar a Ordem Natural das Coisas.

beijos

Fernando Samuel disse...

Ana Camarra:loucos e ingénuos... como se fosse possível...
Um beijo.