FAÇAMOS AS CONTAS

Como era previsível, a Sonae, em 2008, teve uma quebra nos lucros.
Os efeitos de tal quebra traduziram-se na descida de Belmiro de Azevedo no ranking nacional e internacional dos homens mais ricos - notícia que quando foi divulgada provocou profundo pesar em todos os portugueses.

Segundo informou Paulo Azevedo - herdeiro de Belmiro e actual presidente executivo da Sonae - a quebra dos lucros anda pelos 70 %, isto é: em 2008, o lucro de Belmiro passou de cerca de 115 milhões de euros para, apenas... 80 milhões de euros.
Mas tudo se resolverá: para tranquilidade da Nação, no próximo ano o grupo aumentará os lucros - isto porque, Paulo de Azevedo, ele o diz, vai «tornar a Sonae uma grande multinacional». Outra razão para acreditar que os lucros da Sonae vão aumentar em 2009, é que Paulo Azevedo, ele o diz, faz «um balanço positivo da actuação de José Sócrates» e tem «empatia por José Sócrates» (aí está, dito por quem sabe, aquilo que nós já sabíamos: o Governo de Sócrates é fiel cumpridor das ordens dos grandes grupos económicos e financeiros).

Entretanto, a propósito destas quebras de lucros dos grandes, um comentdor do Público, num aparente assomo crítico, escrevia ontem: «(com a crise) os ricos perderam mais num ano do que a maioria das pessoas ganhará ao longo de toda uma vida».
O que, sendo verdade, é verdade que peca por defeito, já que «a maioria das pessoas» precisaria de muitas vidas para ganhar tanto como o Belmiro perdeu num ano - e de muitas mais vidas para ganhar o que Belmiro ganha mesmo em ano mau...
Para vermos como é, façamos as contas: tomando como exemplo uma pessoa que ganhe 1000 euros/mês (ordenado que «a maioria das pessoas» não ganha), essa pessoa precisaria de 3 000 anos de trabalho para ganhar tanto como Belmiro perdeu num ano - e precisaria de 6 600 anos de trabalho para ganhar tanto como Belmiro ganhou no ano de 2008.

Quer isto dizer, entre muitas outras coisas, que Paulo Azevedo sabia o que dizia ao sublinhar que «o Público é um jornal de grande qualidade que nos beneficia imenso»...

9 comentários:

samuel disse...

6 600 anos de trabalho para ganhar tanto como Belmiro ganhou no ano de 2008?
Vamos nessa! Ainda nem sessenta fiz... mas aqui vou eu a caminho de figurar no ranking da Forbes...

É preciso ter muita paciência!

Abraço

Crixus disse...

Empatia por José Socrates? O Publico é um jornal que o beneficia imenso? Pois é, são dois instrumentos, o poder do Estado e a comunicação social, dos mais poderosos para perpetuar o sistema capitalista de exploração do povo e a sua ideologia. Quanto aos lucros suponho que o Belmiro esteja livre para despedir, pois na concepção do BE, quem não tem lucros, coitadinhos, pode despedir à vontade...

Abraço

Ana Camarra disse...

Fernando Samuel

Primeiro tenho que ter pena dessa familia Azevedo que tudo conquistou com o suor do seu rosto e nada mais...
Depois de facto congratular-me com o facto do Governo ter feito algo que seja bom para alguns Portugueses.
Por fim dizer que nem que trabalhe 48 horas por dia ganho essa batelada, mas deve ser por ser perguiçosa...

beijos

Maria disse...

É preciso não terem vergonha nenhuma para ousarem falar destes números num país em que o ordenado mínimo é de cerca de 400 euros, e em que o desemprego chega quase aos 500 mil...
É imoral!

Um beijo grande

Aristides disse...

Eu que já tenho 25 anos de trabalho e que (parece um paradoxo) já houve uma altura, no passado, em que estive mais próximo da reforma, já não me falta tudo para os 3300 anos. É preciso paciência, como diz o Samuel, mas é preciso sobretudo não desanimar.
Abraço

filipe disse...

Saúdo as contas que apresentas.
Contas simples de se fazerem mas que traduzem bem - e bem melhor - o abismo (já não chega falar em fosso) entre os salários dos milhões que trabalham e os afrontosos rendimentos de umas poucas dezenas de parasitas exploradores, servidos pelos seus lacaios no governo e na Comunicação "Social".
Mas a luta continua, cada dia mais forte e decisiva. Abraço.

do Zambujal disse...

Contas feitas. E bem feitas!
O que nos vale é que, contra o poder dominante e apesar do ataque à saude pública, a longevidade vai aumentando... embora 6.600 anos parece-me optimismo demasiado!

Ah!, e outra coisa: nem "eles", com esses milhões todos, passarão (os passarões) o seu prazo de validade como matéria organizada em ser vivo. Se chegarem aos 100 anos irão para os jornais mas não por terem milhões de milhões...
Grande abraço

Antuã disse...

Coitadinhos. Tenho tanta pena deles que faria tudo para correr deles dessa desgraça de terem tanto prejuízo. Nacionalizava essas empresas.

Fernando Samuel disse...

samuel: milénios de paciência...
Um abraço.

Crixus; é por essas e por outras que o Público trata tão bem o BE...
Um abraço.

Ana Camarra: é claro que és uma preguiçosa: se fizesses como o Belmiro - que às oito da manhã já está a trabalhar, que não tem férias nem feriados... - também estavas na lista da Forbes...
Um beijo.

Maria: é a imoralidade dos... imorais...
Um beijo grande.

Aristides: é isso: lutar, lutar sempre!
Um abraço.

filipe: fosso, abismo que só com muita, muita luta é possível «tapar»...
Um abraço.

do zambujal: realmente é demasiado optimismo: é melhor acabarmos com «isto» já...
Um abraço.

Antuã: ai, se eles te ouvem!...
Um abraço.