APENAS O REGISTO

Milhões de trabalhadores comemoraram o 1º de Maio em todo o mundo.
Nalguns casos, em gigantescas manifestações, noutros em acções de menor dimensão, mas sempre tendo como objectivo principal a defesa dos direitos e interesses de quem trabalha e vive o seu trabalho.

Vale a pena registar as diferentes posturas dos governos de cada país em relação às comemorações do Dia do Trabalhador.
Nas democracias burguesas - a que podemos, talvez com mais rigor, chamar ditaduras do grande capital - o que fazem os governantes em relação às comemorações do 1º de Maio?
ou assobiam para o lado, desvalorizando e menorizando as manifestações e colocando-se longe, muito longe delas (o que não surpreende: alguém imagina, por exemplo, José Sócrates, ou Cavaco Silva, ou Sarkozy, ou Obama, ou qualquer outro democrata desta família a desfilar ao lado dos trabalhadores num 1º de Maio?...),
ou reprimem-nas, como aconteceu nesse modelo ímpar de democracia que é a Colômbia, onde, por efeito da democrática acção policial, trinta trabalhadores ficaram feridos e setenta foram presos.

Tudo é diferente, no entanto, nos países onde os governos têm como referências primordiais da sua política a salvaguarda dos interesses e direitos dos trabalhadores.
Dois exemplos:
na Venezuela e na Bolívia, os presidentes Hugo Chávez e Evo Morales desfilaram com os trabalhadores e o povo nas manifestações do 1º de Maio.
E fizeram mais: no decorrer das manifestações em Caracas, Chávez anunciou o aumento em 26, 5% do salário mínimo, 15% já este mês e o restante em Setembro; e na manifestação de La Paz, Morales comprometeu-se a implementar a nova lei de trabalho proposta pela central sindical boliviana e anunciou a anulação de um decreto de 1985 que estabelecia o modelo económico da Bolívia como de mercado.

A isto, os comentadores, analistas & etc. dos média dominantes chamam «demagogia», «populismo» & etc.
E com isso, outra coisa não pretendem do que louvar e eternizar a exploração e a opressão.

Com a consciência de que não vos vim dizer nada de novo, fica apenas o registo - mais um - da diferença existente entre, por um lado, regimes virados para o PASSADO e, por outro lado, regimes onde o FUTURO é quem mais ordena.

11 comentários:

samuel disse...

Os "novos jornalistas, comentadores e analistas" são pagos para isso... logo, estão a fazer o seu trabalho. Mas esse "trabalho", não me peçam para respeitar...

Abraço.

joão l.henrique disse...

«O registo» que é sempre bom ter presente!..

Um abraço.

Anónimo disse...

Regimes que se dizem socialistas e constroiem o socialismo, a sério.
Não são de certeza como estes que se auto-proclamam de "socialistas" e que nos vigarizam com uma política de direita e de miséria.

(Jorge)

Graciete Rietsch disse...

As diferenças são incomensuráveis.

Um beijo.

Pata Negra disse...

Bem, digamos que um 1º de Maio com o Sócrates ou com o Cavaco a desfilar na mesma avenida que eu, também não seria muito do meu agrado! Valemos mais nós se não estivermos mal acompanhados!
Uma abraço da Ave Nida em nidificação

Anónimo disse...

Em 5 de Maio de 1981 morreu Boby Sands na prisão às ordens da "senhora" Tatcher.

Khe Sanh

Antuã disse...

Se o Sócrates desfilasse a meu lado algo estaria errado.

Eduardo Miguel Pereira disse...

E deixem-me alertar-vos para algo que me deixou preplexo que foi, no dia 1 de Maio, ver na Sic Notícas passar em rodapé uma notícia que dava conhecimento que Chavéz tinha proibido manifestações da central Sindical.

Fiquei aparvalhado e desatei a vasculhar a Net para ver se sabia o que se passava e ... nada !!!

Será caso que se deram ao luxo de passar uma mentira assim tão descarada ???

Justine disse...

Tão claro, tão simples, F.S.! Como é possível haver ainda tanta gente que não vê as diferenças???

Anónimo disse...

Fernando Samuel
Pelo que tenho lido por causa de uma entrega de um homem ao regime colombiano parece-me que é de ter em conta e ter muita atenção a ver como o Chavez se comporta. E olha que eu era seu adepto incondicional mas agora.... não será cenouras para enganar burros?
E a sua grande amizade com o socras?.
Vitor sarilhos

Fernando Samuel disse...

samuel: nem a mim...
Um abraço.

joão l.henrique; para que a memória não esqueça.
Um abraço.

Jorge: é essa a diferença.
Um abraço.

Graciete Rietsch: o dia e a noite...
Um beijo.

Pata Negra: por isso eles não desfilam...
Um abraço.

Khe Sanh: e é importante que o crime não seja esquecido.

Antuã: erradíssimo...
Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira: essa eu não sabia, mas está dentro dos «critérios informativos» dominantes...
Um abraço.

Justine: as mentiras todos os dias repetidas fazem estragos...
Um beijo.