TAL COMO HITLER...

Obama foi entrevistado pela CBS.
Foi a primeira entrevista do Presidente dos EUA depois do assassinato de Bin Laden.

Ficámos a saber o drama que foram, para Obama, aqueles «40 minutos» que durou a operação: «a incerteza sobre o seu êxito, a ansiedade», enfim, um horror...
E, depois, o alívio: o golpe profundo que fora vibrado sobre a Al-Qhaeda, a notável vitória alcançada no combate ao terrorismo...

Mas - avisou Obama! - o terrorismo não está ainda derrotado... é preciso prosseguir a caça aos terroristas...
(recorde-se: terroristas são, para o governo dos EUA, todos os que, em qualquer parte do mundo, não aceitem a supremacia da raça... norte-americana)

Obama explicou que a operação que levou à morte de Bin Laden, foi uma «operação militar, com homens e helicópteros, num país soberano» - assim mesmo: «num país soberano»! - acrescentando que este é o caminho para o combate ao terrorismo no futuro, avisando solenemente que os EUA farão operações semelhantes em qualquer país do mundo onde se acoitem terroristas...

Estamos, então, perante uma situação com contornos de novidade: o presidente do país mais poderoso do Planeta afirma publicamente a sua intenção de levar por diante acções militares em qualquer país onde ele, e os seus homens de mão, suspeitem existirem terroristas - e, como aconteceu no Paquistão, sem ouvir a opinião, sem avisar, sem passar cavaco aos governantes do respectivo país.

É o imperialismo norte-americano a afirmar publicamente, como nunca antes o havia feito, a sua postura de dono e senhor do mundo.
A confirmar as ameaças e os perigos que pesam sobre os países e os povos do mundo.
A mostrar as suas garras.
A exibir a sua sede de domínio - de sangue.

Com esta declaração, Obama deu o passo que faltava para cumprir plenamente o seu destino...
Tal como Hitler o fez há sete décadas atrás.

13 comentários:

samuel disse...

A demonstrar, por muito que tantos não o queiram ouvir, que Obama é igual, ou PIOR que os seus antecessores.

Abraço.

joão l.henrique disse...

Que mal fica a fotografia de Obama na galeria dos Prémios Nobel...

Um abraço.

Justine disse...

A vergonha está totalmente perdida! Tal é o sentimento de impunidade, que nem se dão ao trabalho de disfarçar um pouco...

Anónimo disse...

Uma coisa é aquilo que o presidente diz e a outra é aquilo que o comando de morte (o exército) do Império faz.
Esta ficção à volta de Bin Laden é apenas um novo golpe publicitário do presidente para ganhar, de novo, a presidência e para deixar em baixo o país, Paquistão, por ter feito o que fez, com o terrorista americano, Richard Davies (agente da CIA).
Também, poderá ser um recado à China e à Rússia, para mostrar como o Império está bem armado.
Afinal, as bases americanas na Polónia não foram construídas com intuito de atacar o Irão, mas sim na possibilidade de atacar a Rússia.
É um Império obcecado na guerra, com uma indústria militar poderosa que controla o governo e o seu presidente, onde apenas contam os americanos. Aqueles que não são americanos, não interessam.

(Jorge)

trepadeira disse...

Andam por aí,andam,muitas experiências de laboratório mal sucedidas,para duplicar o adolfo.

Um abraço,
mário

Graciete Rietsch disse...

Continuo a achar misteriosa a "morte" de Bin Laden. Mas penso é que ela é um valioso pretexto para o sr.Hitler, desculpem, Obama impor pelas armas o seu domínio nos países cuja política não lhe seja favorável mesmo que aliada noutros tempos.
Ele o afirmou.

Um beijo.

Antuã disse...

O Adolfo Obama nunca me enganou.

O Puma disse...

Obama?

O chefe máximo de um sistema menor

Eduardo Miguel Pereira disse...

É assim que o Imperialismo Americano vê as coisas.
Os outros quando matam são assassinos, eles quando matam, é para o bem de todos.

Faz-me lembrar uma frase do Alentejo de antigamente em que se dizia :

- A Sra. rica deu à luz um menino, a pobre pariu um gaiato !

Fernando Samuel disse...

samuel: nem mais!
Um abraço.

joão l.henrique: corre o risco de vir a ser o mais ignóbil de todos os nóbeis...
Um abraço.

Justine: exibem ostensivamente a sua sede de domínio e de sangue...
Um beijo.

jorge: bem observado.
Um abraço.

mário: ele está mal enterrado...
Um abraço

Graciete Rietsch: e afirmou-o publicamente, com a insolência e a arrogância de fuhrer...
Um beijo.

Antuã: nestas coisas só se engana quem quer...
Um abraço.

O Puma: sem dúvida.
Um abraço.

Eduardo Miguel Pereira: ou: «quando se emborracha o pobre/dizem olha o borrachão/ quando se emborracha o rico/acham garça ao figurão»...
Um abraço.

Hilário disse...

E é este gajo nobel da paz, sinceramente.....
UM Abraço

Anónimo disse...

Vitor sarilhos
Não esquecer que o Hitler para poder iniciar a 2ª guerra mundial mandou incendiar o Reichtag. E admiram-se alguns de ter sido o Bush que mandou abater as Torres gémeas. Pobres de espirito que acham que os americanos são os melhores do mundo esquecendo que quem domina a América são descendentes da escumalha existente na Inglaterra e que os governos ingleses despacharam para a América.

Anónimo disse...

Caro Vitor Sarilhos,
Também escumalha sueca, alemã (nórdica) e muitos outros.
Os governos ingleses também despacharam os ex-criminosos ou prisioneiros para a Austrália.
Aquilo que esta nação ou união de estados fez mais parecido com o nazismo, no tempo da guerra, foi perseguir os japoneses americanos e prendê-los em campos de concentração.
É certo que Bill Clinton ainda pagou algumas indemnizações a alguns japoneses, mas o mal foi feito e demonstrou aquilo que este país é: um guarda de campos de concentração, de abuso e até de extermínio.
Abraço

(Jorge)