A LUTA DE MASSAS

Menos de uma semana após a batalha eleitoral - traduzida numa intensa campanha política de massas integrada na luta popular - a luta de massas aí está, na semana nacional de luta da CGTP-IN - a grande central sindical dos trabalhadores portugueses: de classe, de massas, unitária, democrática, independente. Revolucionária.

Ontem - em Aveiro, Évora, Beja, Portalegre, Porto, Vila Real e Setúbal;
hoje e amanhã, em Angra do Heroísmo, Bragança, Braga, Viana do Castelo, Coimbra, Guarda, Leiria, Peniche, Lisboa, Funchal, Viseu, Santarém e Covilhã -
as massas erguem a sua voz e o seu protesto contra os ataques do Governo aos salários e aos direitos e interesses dos trabalhadores, do povo e do País; contra a política de direita, pela mudança e pela ruptura, por um novo rumo para Portugal.

Fazem-no através das mais diversificadas formas - concentrações, cordões humanos, tribunas públicas, desfiles, plenários, manifestações.

Fazem-no conscientes da importância decisiva da sua intervenção - corajosa, confiante, persistente, sem desânimos - para dar a volta a isto.

Fazem-no conscientes dos muitos e poderosos obstáculos que têm pela frente, erguidos pelo poder do grande capital, obstáculos que tornam a luta mais difícil e retardam os seus resultados, mas que não impedirão o seu êxito - porque a força organizada dos trabalhadores é a mais poderosa de todas as forças.
E vencerá.

Não tão depressa como desejaríamos, é certo, mas muito mais depressa do que o grande capital deseja...

16 comentários:

A Chispa ! disse...

Pois é, pois é Fernando Samuel está dificil responder aos comentários feitos pela "A Chispa!". Realmente, defender o dito PROGRAMA de "Ruptura, Patriótico e de Esquerda" como um programa de esquerda, implica uma ginástica muito difícil de fazer.

São por aquelas e outras razões que a A Chispa! levanta, que os Santanas Lopes da nossa praça elogiam a moderação da politica do PCP e sugerem para que ele participe num governo de "salvação nacional" para que assim possam domesticar a luta operária e a burguesia possa sair da crise.

Quanto às lutas que enomeia, elas são positivas, só é pena que não sejam feitas todas em conjunto para dar mais força ao movimento e que não tivessem sido feitas antes também. Mas sobre isto a "A Chispa!" dará a sua opinião mais tarde.

Um Abraço
A Chispa!

Anónimo disse...

A CGTP é democrática?
Hitler e Mussolini também diziam que eram socialistas.
De facto, andamos a brincar às palavras...

José Rodrigues disse...

(...)Mas ai deles quando os mais de três milhões de trabalhadores que participaram na greve geral perceberem a força que têm;ai deles se os dois milhões de pobres tomarem CONSCIÊNCIA que pesam mais que os dois mil muito ricos;ai deles se o milhão e meio de reformados,o milhão e 200 mil precários,os mais de 700 mil desempregados e os MPME perceberem que TÊM MAIS FORÇA que os deputados do PS e do PSD que VOTARAM favoravelmente este Orçamento injusto(...).J.Sousa-in comício no Campo Pequeno.
Então sim,acrescento eu,vai dar "chispa"a valer e veremos muitos verbalistas a dar ao chispe em busca de um lugarzinho recatado...de preferência bem remunerado!

Abraço

Antuã disse...

A burguesia anda atarantada. Já há muito que não se ouvia provocações aos manifestantes como "ide trabalhar".

samuel disse...

O lúmpen, decididamente, descobriu e decidiu atacar este blog, como parte da sua óbvia estratégia de combate ao PCP, a velha estratégia do anticomunismo primário disfarçada de grande ideal revolucionário.
E andamos a enxotar "isto" das canelas... há décadas! É obra! :-)))

Abraço, Fernando Samuel.

Maria disse...

Os cães ladram, a caravana passa, e A LUTA CONTINUA!!!

Um beijo grande.

joão l.henrique disse...

Só a luta nos pode conduzir à vitória.

Um abraço.

A Chispa! disse...

Caros comentadores

"A Chispa!" acha que os amigos têm todo o direito d terem a opinião que têm sobre a A CHISPA!.

Mas por favor não se esqueçam de dar resposta às questões levantadas pela "A Chispa! sobre o conhecido programa de "Ruptura,Patriótico e de Esquerda" que se propõe combater o grande capital.

Fernando Samuel, pelos comentários que a maioria dos seus comentadores fazem, já nos apercebemos das dificuldades politicas e ideológicas que têm, não se importa você de responder às questões levantadas pela "A Chispa!"

Um abraço
A Chispa!

A Chispa ! disse...

José Rodrigues
Os mais de três milhões de trabalhadores que aderiram à Greve Geral andam a perguntar o que é que fizeram ao IMPACTO que essa Greve Geral teve. Se quiser responder a esta pergunta agradeciamos.

Samuel pensamos que o "cravodeabril" não merece a linguagem que utiliza, assim preferimos não responder à sua provocação.

Um abraço
A Chispa!

Bolota disse...

Chispa,

Eu sou novato por aqui, nem conheço os cantos á casa, mas parece-me que ninguém tem de responder a ninguém. Temos isso sim de dar cada um o seu ponto de vista que será comentado ou não pelos que por aqui andam á mais tempo.

Também eu sou p´ro inconformado, também eu quero um PCP mais mexido, também eu quero um PCP comunista. Mas aqui, apenas podemos expressar os nossos pontos de vista enquanto nos deixarem e pouco mais. Digo eu…

Anónimo disse...

A chispa, coitada, confunde desinteresse com falta de preparação ideológica.
Por que carga de água tem alguém de responder obrigatoriamente a quem tem o umbigo do tamanho deste mundo e do outro?
As pessoas têm o o direito de escolher as perguntas que merecem resposta.
Já não há pachorra para os "educadores da classe opedrária"!

Campaniça

samuel disse...

A Chispa:

Não gostaram da "linguagem"? Óptimo!!!
Já pararam para pensar, nem que seja por um momento, que as vossas "questões", ou para ser mais preciso, as questões e a forma provocatória como as apresentam, são a maior razão de não obterem qualquer resposta?
Caros, a única "limitação" que por aqui há - e é muita - é a grande falta de pachorra para aturar a vossa "converseta", há tantos anos sempre igual.
Mais alucinados que vocês, só mesmo os da "Chispa-ML", ou da "Chispa (R)"...
Felizmente, alguns de vós vão-se encostando no PSD e no PS, como deputados, dirigentes, "boys"... e calam-se; senão isto era insuportável! :-))) :-))) :-)))

GR disse...

Hoje uma pequena empresária lamuriava-se; então o Jerónimo Martins (Pingo Doce) anda a propor aos donos do pequeno comércio (mercearias de bairro) para as vender, ficando o antigo patrão a trabalhar como empregado. “Maldito seja o grande patronato! Querem ficar com tudo! Nunca mais voto neles! Ninguém me fale no PS, CDS ou PSD, são todos iguais.”
“Eu sei que os comunistas não nos abandonam.Lutam, lutam pelo povo trabalhador”
Lembrei-me das tuas palavras.
«Não tão depressa como desejaríamos, é certo, mas muito mais depressa do que o grande capital deseja...»
A Luta é o Caminho!

Bjs,

GR

Graciete Rietsch disse...

Não consigo ler a Chispa, porque sei que a luta do Povo e do Partido Comunista e Português, tem mais mais valor e é muito mais eficiente que o palavreado pseudo revolucionário desses anti-comunistas que aparecem por aí!!!!!!

Um beijo.

Graciete Rietsch disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Samuel disse...

José Rodrigues: e para clarificar o primado da luta de massas em relação a todas as outras batalhas que a integram (incluindo as batalhas eleitorais...), constataremos, um dia destes, que os três milhões que não estiveram connosco com o voto, estarão connosco na próxima greve geral...
Um abraço.

Antuã: o que a burguesia mais teme é aquilo que mais mossa lhe faz: a luta das massas trabalhadoras e populares.
Um abraço.

samuel: eis como, em poucas dezenas de palavras, se pode dizer tudo o que, sobre o assunto, há a dizer.
Abraço grande.

Maria: por mim, que já os ouço há muitos anos, já dei para esse peditório: tenho mais que fazer do que responder-lhes.
Um beijo grande.

João l henrique: essa é a grande verdade - sabemo-la nós e sabem-na os nossos inimigos...
Um abraço.

Campaniça: os «educadores da classe operária» tendem a surgir em todos os momentos em que a luta da classe operária e restantes trabalhadores se acentua e intensifica: é nesses momentos que melhor cumprem o papel histórico que o capitalismo lhes destinou.
Um beijo.

GR: a luta é, de facto, o caminho - um caminho difícil neste quadro de profunda disparidade de forças, mas o caminho a seguir: com determinação, com confiança, com muita perseverança; especialmente com muita paciência revolucionária...
Um beijo.

Graciete Rietsgh: eu deixei,há muito tempo, de ler e responder aos «chispas»: por um lado porque eles são, em primeiro lugar e acima de tudo, anticomunistas e, por outro lado, porque já lhes foi dada a resposta necessária: em actos, pela intervenção do PCP ao longo de décadas; em palavras, pelos textos que, sobre o assunto, escreveu Álvaro Cunhal (e, antes, Lénine).
Um beijo.