«DEMOCRACIA EXEMPLAR»

Os EUA são, por auto-proclamação, a «pátria da democracia» - qualidade que lhe dá o direito de decidir quais os países (ou os cidadãos) que, em qualquer parte do mundo são, ou não são, «democratas».
A Colômbia é, porque os EUA assim o decidiram, uma «democracia exemplar» - e, assim sendo, os média dominantes, em todo o mundo, repetem - tantas vezes quantas as necessárias para que isso se transforme em verdade absoluta e universal - que «a Colômbia é uma democracia exemplar»...

Sobre o que isso significa, o Cravo de Abril tem divulgado exemplos vários: os activistas e dirigentes sindicais assassinados; os milhares de «desaparecidos»; os milhares de presos políticos; as deslocações de populações; as valas comuns; os moderníssimos fornos crematórios; enfim, todo o arsenal de práticas e instrumentos de terror, toda a sucessão de crimes com os quais os governos da Colômbia conquistaram o título de «democracia exemplar» - casos que, por razões óbvias, são silenciados, ou calorosamente desmentidos, pelos média dominantes, eles próprios «modelos de liberdade de informação»...

Momento alto da consagração desse honroso título de «democracia exemplar», foi a entrega ao fascista Uribe, pelo governo dos EUA, da «medalha da liberdade», isto, para além da instalação na Colômbia de sete bases militares do imperialismo norte-americano - notícias que, por razões óbvias, têm honras de primeiras páginas nos tais «modelos de liberdade de informação»...


Entretanto, a Procuradoria-Geral da Colômbia elaborou 173 183 processos relativos a homicídios e 34 467 processos relativos a «desaparecimentos - ou seja, mais de 200 mil crimes cometidos pelos para-militares das milícias fascistas chamadas Auto-Defesas Unidas da Colômbia, as quais procederam, também, à deslocação forçada de 74 990 comunidades.

Tudo a confirmar a Colômbia como uma «democracia exemplar» - de acordo com os critérios estabelecidos pela «pátria da democracia»...

10 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Enquanto os Povos oprimidos não se libertarem do comando dos E.U., não haverá democracia. Haverá ditadores que obdecem a ordens, como li,há pouco, em "Rsistir.info"

Um beijo.

samuel disse...

Democratas da pátria que os pariu... para usar um termo a que não és estranho... :-))) :-)))

Abraço.

joão l.henrique disse...

«democracia exemplar» e a «pátria da democracia» aqui referidas, são ramos da mesma árvore que até na primavera cheira mal e, apenas serve para infestar os campos aráveis.

Um abraço.

A Chispa ! disse...

Não se trata de obrigar alguém a responder às questões levantadas pela "A Chispa!", mas simplesmente que demonstrem,já que isso defendem e por se tratar de uma proposta do PCP, que o programa "Por um Portugal a produzir!" é uma proposta de "Ruptura, Patriótica e de Esquerda" de rompimento com a politica do grande capital,é só isto que está em causa.

Samuel: Quanto aos que se passaram para o campo do inimigo, isso ao longo da história da luta de classes, foi uma situação que sempre aconteceu e que vai acontecer no futuro, era bom que não acontecesse, pois isso tornava-nos mais fortes e esses homens mais consequentes.
Assim é verdadeiramente injusto e errado você pegar nessas PEDRAS, quando infelizmente o PCP ao longo da sua história foi o partido que mais militantes teve, que se passaram para os partidos capitalistas e alguns até se venderam aos fascistas Salazar/Caetano, eles são tantos que nem vale a pena enúmerá-los e você conhece concerteza bastantes.

Quanto ao anti-comunismo, quer maior prova disso mesmo, do que o apoio e colaboração que os dirigentes do PCP sempre deram aos anti-comunistas que destruiram a União Soviética e que agora fazem o mesmo com os chineses.

Quando os dirigentes revolucionários chineses,denunciavam a camarilha revisionista russa de ultrajar o marxismo-leninismo e de procurarem trair o socialismo na U.Soviética, o PCP uniu-se a Khrushchev,contra os revolucionários que os denunciavam, hoje que a China virou potência capitalista e traiu o socialismo, apoiam os dirigentes traidores e tratam-nos como irmãos, ao contrário do KKE que os denuncia como revisionistas e inimigos do seu proletariado.Afinal, quem é anti-comunista?
Não vá por aqui Samuel,porte-se como um comunista se de facto é, e discuta com frontalidade e coerência já que acredita nas propostas que o seu Partido elabora e não se esconda atrás desse tipo de provocações, porque isso não reforça a sua posição e a obter apoios só os pode conseguir em pessoas fanatizadas e pouco conscientes politicamente, o que não acreditamos que seja o caso das pessoas que no "cravodeabril" comentam,

Portanto, a questão é tão simples como isto,se tem capacidade para fazê-lo: Prove como a proposta de "Por um Portugal a produzir!" é uma proposta de esquerda e de ruptura com a politica do grande capital.

Um abraço

A Chispa!

svasconcelos disse...

Com amigos assim, quem precisa de inimigos...

Um beijo,

samuel disse...

A chispa:

Primeiro, não me lembro de ter alguma vez deixado no ar a ideia de que estava disponível para os vossos "abraços".
Segundo, perante a prática consequente de luta COM os trabalhadores e todo o povo, protagonizada pelo vosso ódio de estimação, os comunistas portugueses; perante a evidência da necessidade de pôr Portugal a produzir para sair desta mísera dependência, de romper com esta política, substitindo-a por uma outra, patriótica e de esquerda... não vejo porque diabo haveria de ser necessário defender a proposta "Por um Portugal a produzir!"... quando esse é, afinal, apenas um passo mais na conquista de um Portugal a produzir... mas nas mãos dos trabalhadores portugueses.
Desculpem lá eu não defender que isso se faça em cima da terra queimada e à bomba. Não levem a mal.
Terceiro, se vocês têm essa mesma converseta, inalterada, há décadas; se sabem exactamente tudo o que não deve ser feito; se foram denunciado todas as "camarilhas" uma após uma, por que carga de água é que ainda não fizeram um grande partido que faça tudo certo, que seja virginalmente puro como vós, que passe a mensagem, que resulte... em vez de andarem eternamente, em grupelhos, atazanando e estorvando quem realmente fez e faz... até em blogs?
Por último, quanto a esse tipo de provocação malcriada e barata do "respondam lá se tiverem capacidade", já vi tantos operários, ou camponeses sem qualquer formação académica, darem exemplos de cidadania e consciência de classe, enquanto, ao mesmo tempo, via tanto catedrático filho da puta... que não dou o menor valor à capacidade retórica, enquanto qualidade humana.
Portanto, se a ideia é exibir "habilidades" verbalistas, piruetas teóricas e outros truques igualmente vistosos... as incrições para o Circo Chen são lá mais ao fundo da rua.

до свидания

Graciete Rietsch disse...

Parabéns Samuel pela resposta.
Onde estão os "maravilhoso" feitos dessa,sim, camarilha que apenas pretende destruir a valiosa contribuição do PCP para uma ruptura e mudança de rumo relativamente às políticas que há mais de 34 anos nos desgovernam?

Um beijo.

Anónimo disse...

Meus Caros
É fácil, muito fácil, e eu pensava que os caminhos a percorrer eram difíceis e exigentes, fazer a Revolução. O PCP, quase a fazer 90 anos, várias vezes dado como morto por vários "comentadores independentes" como Miguel Sousa Tavares, Tersa de Sousa e outros, mas também, em termos de acção por alguns ultra-revolucionários continua a resistir, vivo e actuante, e a lutar como nenhuma outra força política o faz, por um País mais justo, fraterno e solidário.Mas as coisas não estão fáceis pois o PCP não joga sózinho. Mas a solução está à nossa frente, estará à disposição do Povo Português. Está na CHISPA, esse conjunto, uma unidade já o é, de iluminados e revolucionários que tudo sabem e tudo contestam no que respeita ao PCP. Que bicho lhes mordeu para tamanho ódio, tamanha fixação de pensamento?
Será que estão a procurar currículo para seguirem o caminho de alguns. Também é uma maneira de mostrarem serviço. Já agora porque não lerem o livro, cada vez mais actual, de Álvaro Cunhal "O Radicalismo Pequeno-Burguês de Fachada Socialista". Se o fizerem, far-lhes-á bem desde que estejam de espírito aberto o que, sinceramente, não acredito.
A prioridade é combater a direita e as suas políticas, mesmo que praticadas por quem se intitula de esquerda, mas não podemos deixar de estar atentos com os ultra-revolucionários que já mostraram o que valem quer antes quer depois do 25 de Abril. Estes sempre tiveram como inimigo principal o PCP. Porquê e a quem serviram? Que cada um encontre a resposta, as diferenças serão minimas.
Um abraço do Norte
Valdemar

Fernando Samuel disse...

Graciete Rietsch: até lá a a democraCIA continuará a ser dominante.
Um beijo.

samuel: filhos da pátria que os pariu...
Um abraço.

joão l.henrique: é a democracia deles...
Um abraço.

svasconcelos: exacto.
Um beijo.

Valdemar: um abraço forte para o Norte.

Maria disse...

Sem ter conseguido comentar anteriormente e sem muita paciência... o próximo petisco é sopa da pedra ou chispalhada?
É que ando com uma fome...

Um beijo grande.